Tecnologia do Blogger.

08/04/2014

RESENHA - O segredo de Eva (Adriana Vargas de Aguiar)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: AGUIAR, Adriana Vargas de. O segredo de Eva. 1ª edição. Campo Grande, Afrodite Modo Editora, 2012. 204 páginas.
Gênero: Romance adulto.
Temas: Romance conturbado; Relações pessoais.
Categoria: Literatura Nacional.
Ano de lançamento: 2012.












“Quando seu olhar tocou o meu, entreguei a ele os ombros que estavam relaxados. Ele os tocou com zelo e cuidado e passou a despir-me suavemente, prendendo meu cabelo com um adorno, como eu jamais consegui fazer antes. Por nenhuma fração de segundo, olhou-me como um animal faminto, e sim, como se amasse o meu corpo e precisasse dele para se inspirar.
Pôs-me na banheira, enquanto eu sentia a água confortável tocando a minha pele. Suavemente jogou na água um produto, que ao mexer sua mão foi espumando toda a superfície, fazendo-me fechar os olhos para sentir a delícia que era estar vivendo aquelas sensações.
Sem que eu percebesse saiu de perto de mim, e eu somente ouvi o barulho de sua máquina. Ao voltar para a realidade, ele estava de frente a mim, com um roupão que aguardava meu corpo. Delicadamente, me ajudou a sair da banheira, e depois, a vestir o roupão. Meus lábios queriam dizer algo, porém, não souberam usar nenhuma palavra. Pela vidraça fechada, vi apenas trovões e uma densa chuva cair no vidro da janela. Suas mãos ainda estavam sobre o meu braço, e meus lábios pediam os seus. Ninguém conseguiu escapar daquilo que nos chamava, sem medo. Abri o roupão e guardei seu corpo, junto ao meu em um abraço, que foi recebido com serenos beijos no pescoço, enquanto minhas mãos o despiam sem pressa.
Aos poucos, o cheiro de seu perfume estava em minha pele, eu podia senti-lo. Podia, também, ouvir a respiração ofegante, mas sem fúria, e suas mãos deslizavam pelo meu corpo sem dono.
Ele encostou seu rosto no meu e me olhou longamente nos olhos, passando a mão em meus braços.
 – Qual segredo você guarda, senhorita, por ter me deixado assim? Nunca acreditei em amores instantâneos, até nos livros são chatos e cansativos.”
*O segredo de Eva (pág. 62 e 63).



                Uma escritora com doze obras publicadas e que apesar do sucesso literário ainda trabalha em um escritório exercendo uma função que não gosta. Uma mulher que se sente só apesar da companhia do trio de amigos inseparáveis – Christofer, Tabata e Samanta –, por quem seria capaz das maiores loucuras. Uma mulher introspectiva e arredia perante a vida e os próprios sentimentos. Uma mulher que não dá a si mesma o direito de se olhar no espelho, não se permite ser bonita e sente que ainda não se descobriu. Assim é Eva. Sua vida confortável – mas não necessariamente feliz – começa a perder o rumo rotineiro quando Chris descobre ser soro-positivo e então é abandonado pelo namorado; Samanta anuncia sua gravidez não planejada; e um galante fotógrafo, fã de seus livros, surge ao acaso e insistentemente começa a persegui-la. E então Eva se vê as voltas com os problemas dos amigos enquanto uma irresistível atração pelo sedutor fotógrafo vai se tornando paixão. Uma paixão arrebatadora, não desejada e clandestina. Mas há ainda um segredo que Eva terá que guardar, um segredo que a sufoca e que poderá representar a libertação ou a ruína de todas as suas relações.
              O quanto uma mulher pode afogar-se nos próprios conflitos? O quanto uma mulher pode esconder-se de si mesma? O quanto alguém pode depender apenas da amizade para saciar suas necessidades emocionais? O quanto uma paixão pode revirar o mudo de alguém de cabeça para baixo? O quanto um segredo pode atormentar, sufocar, significar, destruir? “O segredo de Eva” é basicamente o desabafo de uma mulher imersa em grandes conflitos. É uma história de amizades e cuidados; de paixão, amor, negação, sofrimento e dor. É a história de uma mulher dividida entre uma paixão inesperada e indesejada e um segredo que coloca em xeque tudo o que há de mais importante em sua vida. Eva se mostra aos poucos, arredia que é. Mas é gradualmente que o leitor conhece a protagonista, se familiarizando com suas questões, suas relações (de amizades e amorosas), seus dramas e conflitos. E seu segredo se delineia gradativamente, sutilmente, sem oferecer muitas pistas do que realmente seja, ainda que o leitor mais atento suspeite de algo.
                Todo o livro segue em tom de desabafo ou confissão. A narrativa, em primeira pessoa, é toda construída como se Eva estivesse contando sua história e suas angustia a uma amiga muito próxima ou, quem sabe, a ela mesma. É como se fossem os relatos confiados a um diário – sem, no entanto, seguir esse formato – tal é a sensação de que Eva dialoga com seus próprios pensamentos. E o tom confidente se apresenta em todos os trechos da obra. Mesmo quando a protagonista narra um dialógo ou um fato que esteja ocorrendo, são seus pensamentos que se interpõe entre as falas, levando o leitor a tentar decifrar aos poucos a situação. Em “O segredo de Eva” o foco é ela mesma, Eva, e não seu segredo.


      

               Os personagens são apresentados através dos olhos de Eva. Algumas das características expostas são opiniões muito pessoais da protagonista. Mas não há muitos deles a se conhecer, são escassos e bem representativos. Eva é intimamente uma mulher solitária e o circulo de pessoas que tenham algum significado para ela é bastante estreito. Algo que chama a atenção dentro do processo criativo da obra são os nomes desses poucos personagens: Eva, Tabata e Samantha Clauflow; Christofer Phillip, Guilly, Dyran, Antony, Tom e Gerald. Sim, apesar de ser uma obra nacional criada por uma legítima brasileira, seus personagens foram batizados com nomes estrangeiros. Entretanto, não se pode dizer onde ou quando a história se passa. A única menção ao nome de uma cidade ocorre quando Eva e seu amado vão passar o fim de semana em São Francisco. Então, o cenário dessa obra seria os EUA ou o Brasil? Ou em outro lugar? Eis uma incógnita. Outro aspecto que vale destacar é o excelente trabalho da editora no que tange à formatação e ao trabalho gráfico da obra. São excepcionais, de uma beleza muito singular e bem cuidada, algo que se mostra como marca registrada da editora. O mesmo cuidado, entretanto, não foi dispensado à revisão: problemas com pontuação, palavras repetidas e vários pequenos errinhos estão presentes e podem incomodar.
              “O segredo de Eva” é mais uma obra de Adriana Vargas de Aguiar, escritora já experiente na arte de contar histórias. Goiana nascida em Anapólis, atualmente cidadã de Campo Grande (Mato Grosso do Sul), Adriana graduou-se em Direito pela UCDB. Seus primeiros passos na literatura foram ainda aos sete anos. Hoje, além de se dedicar a sua carreira como escritora, Adriana Vargas também coordena o Clube dos Novos Autores e trabalha como Assessora Jurídica e Literária para a Modo Editora. Foi também a idealizadora do evento Mochila Literária, com edições em várias cidades do país.
   Em “O segredo de Eva”, a autora extravasa um pouco de sua alma feminina, emprestando a Eva sua voz. Trata-se de um romance adulto. Mas a autora demonstra o controle sobre aquilo que verdadeira importa a sua obra – o perfil psicológico e os conflitos internos da protagonista – ao dosar com cautela os momentos picantes, fugindo um pouco do que anda tão em voga atualmente (que o diga “50 tons de cinza” e seus descendentes). Afinal, um relacionamento maduro obviamente envolve sexo, mas não se resume a isso. E, nessa obra, os trechos onde o sexo está presente mais sugere que explicita qualquer ato.
                Eva é uma mulher estranha e instigante. Sua história e seu segredo vão prender a atenção e atiçar a curiosidade de quem busca em um livro o lado mais íntimo do ser humano. Para leitores que se deliciam com os vários aspectos de um romance, “O segredo de Eva” certamente será uma leitura agradável.
               



Bibliografia de Adriana Vargas de Aguiar (ordem cronológica):

Livros:
  • O oitavo pecado – Modo Editora (2011);
  • O voo da Estirpe – Modo Editora (2011);
  • O segredo de Eva – Modo Editora (2012);
  • Borboletas na primavera – Modo Editora (2013);
  • Inocence: A sociedade secreta das fadas – Modo Editora (2013).

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Eu li esta obra incrível em ebook (Fica a dica para quem quiser me dar ele impresso).
    O livro é muito bom e depois dele fiquei ansiosa para ler todas as outras obras da autora, foi uma ótima leitura que me surpreendia a cada capítulo.

    http://www.confraria-cultural.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá Helkem Araújo, você é muitoooo boa no que faz hein, adorei a sua análise. Bjs
    Adriana Vargas

    ResponderExcluir
  3. Olá Alessandra.
    Que bom que vc gostou do livro. Diz aí, aquele final, hein?

    Oiê Adriana.
    Fico muito feliz que tenha gostado da resenha. E muito obrigada pelo elogio. Faço o possível para fazer as análises da melhor forma. Espero mesmo estar atingindo esse objetivo.
    E nosso objetivo principal com nossas resenhas é a ajudar a formar um público leitor das obras nacionais. Se conseguimos ao menos um novo leitor pra cada livro resenhado, já nos sentimos muito felizes.
    No mais, desejo a vc muito sucesso.
    ^_^

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!