Tecnologia do Blogger.

24/03/2015

RESENHA - A Caçadora: Sorriso de Vampiro (Vivianne Fair)


Ficha técnica:
Referência bibliográfica: FAIR, Vivianne. A Caçadora – Sorriso de Vampiro. 1ª edição. São Paulo, Editora Draco, 2014. 194 páginas.
Gênero: Comédia Romântica
Temas: Vampiros, Caçadores, Romance.
Categoria: Literatura Nacional
Ano de lançamento: 2014
Série: A Caçadora – Sorriso de Vampiro (Livro 1).










“Minha mãe suspirou novamente, olhou-me diretamente nos olhos e soltou a bomba.
- Filha, somos caçadores de vampiros.
Pense assim, como você reagiria?”
*A Caçadora – Sorriso de Vampiro (pág. 09 e 10).




                 Jéssica levava uma vida comum de secretária, quando de uma página para outra (literalmente falando) descobre que seus pais – um dentista e uma professora – eram na verdade caçadores de vampiros. Tendo de lidar às pressas com essa nova realidade, Jéssica parte em uma viagem – sua primeira missão – completamente cética sobre a história maluca que seus pais haviam contado a ela. O que de fato a convencera a ir era o cheque com números generosos que o Conselho – organização para o qual seus pais trabalham – havia lhe dado. O que resultou em um banho de loja sem igual em sua vida. Sua missão era matar um vampiro recém-transformado e para isso ela teria de viajar até a Pensilvânia, fingir ser uma estudante universitária – apesar de ter 29, tinha cara de adolescente – localizar seu alvo, destruí-lo e voltar mais rica do que estaria se juntasse o dinheiro que ganhava como secretária por toda sua vida. Fácil, Não?
                  Só que não.
                A missão de Jéssica era localizar e destruir seu alvo, um vampiro recém-transformado chamado Eric. E para tanto ela deveria se infiltrar em uma universidade para jovens, se passar por aluna (certo, ela tem 29 anos, mas existe formol para isso), e ser a “filha excêntrica de um embaixador”. E quando eu digo excêntrica, quero dizer “maluca”. Um meio que o conselho encontrou para que as ações de Jéssica passassem despercebidas pelos residentes da universidade. Porém, isso só a fez ser o centro das atenções, arrumando ainda mais confusão para o seu lado.
   Ao se instalar conhece Estela, Dine e Sofia. Três otakus (fãs de anime e mangás japoneses) que logo se afeiçoaram a Jéssica por ela ter um cabelo perfeito para fazer um cosplay (pessoas que se vestem como seus personagens favoritos e os interpretam). E com a ajuda delas – sem obviamente contar a verdadeira intenção por trás – parte em busca de seu objetivo e acaba por encontrar muito mais que um simples “alvo”
                O livro é divertido. A autora tem um jeito único de criar situações engraçadas nas passagens mais banais da obra e criar situações ainda mais cômicas quando já não aguentamos mais de tanto rir. Jéssica, a protagonista da trama, é atrapalhada, tem um sério problema de autoestima e vive se metendo nas mais hilárias confusões. Zack, um vampiro que ela conheceu meio que por acidente, é sarcástico, tem uma piada para tudo na ponta da língua e incrivelmente metido, mas que por trás da casca grossa esconde seu sentimento de solidão por ser imortal. As cenas em que os dois estão juntos são as mais cômicas e cheias de tiradas divertidas. Quando Jéssica acreditava que estava “por cima”, vinha o Zack com algum comentário sarcástico. As cenas dos dois também foram as que mais me fizeram revirar os olhos, por conta do romance meloso que os permeia (sim, ela tinha de matá-lo, paciência, mas acabou por se apaixonar por ele). Dine, Sofia e Estela são as otakus que auxiliam Jéssica, mesmo sem saber exatamente no que. Elas a chamam de Chefa e são cruciais em alguns momentos da trama. E ainda tem o Bobby, único homem da turma. Nerd assumido e o único que pensa com certa lógica entre os amigos de Jéssica.
                Curioso notar o quanto da vida da autora foi transportada para a obra (chamam a Jéssica de Chefa, para começo de conversa). Quem teve a oportunidade de conhecer pessoalmente a autora, pode notar que certos maneirismos dos personagens podem também ser encontrados na autora (ficaram curiosos, né?). Sendo uma cosplayer, fã de animes, games e jogadora de RPG, muitas das referências usadas no livro são a respeito desses temas.


             Dine havia entrado correndo, gritando frenética e rindo loucamente enquanto abria a mangueira e dizia:
               - Tome isso, seu Heartless* dos infernos!!  Pág 177
            * Referência ao jogo Kingdom Hearts.
             


Isso é um Heartless
          A autora ainda tira sarro de obras de vampiros e frequentemente faz comparações do que é “real” para Jéssica e do que a mesma havia visto em filmes como em “Entrevista com o Vampiro”, “Buffy – a caça vampiros” ou “Crepúsculo”.
                Uma das principais características do livro são os clichês. E eles estão em todos os lugares. Como em“Quem Precisa de Heróis” (resenha), a autora usa e abusa deles para imprimir sua marca registrada na obra. Desde a líder de torcida loira/popular/gostosa/dona do pedaço até garotas góticas estranhas adoradoras de um deus maligno. Tudo é inserido de forma totalmente intencional, com a única finalidade de tornar a leitura mais leve e divertida, recurso que se mantém por todo o livro.
            O que certamente me incomodou na obra é que Jéssica é um pouco fútil para a idade dela. Tirando as situações de perigo e algumas conversas mais sérias, ela só fala em roupas, meninos gatos e coisas que meninas adolescentes pensam, coisa que não condiz muito com uma mulher que está quase na casa dos trinta anos. Em certos momentos, até mesmo as otakus são mais maduras e sensatas que ela.   
            Não sou muito de ler romances (na verdade, creio que esse foi o primeiro que eu li) e confesso que em algumas partes suspirei muitos “Affz”, pois histórias românticas não condizem com o meu perfil de leitor, mas no geral adorei a leitura descontraída, simples e bem humorada. 
O livro é narrado em primeira pessoa. Tudo na história se passa aos olhos de Jéssica. À medida que a narrativa avança, vamos conhecendo novos personagens junto com a protagonista. A fluidez é muito tranquila. A autora não usa sinônimos e suas descrições são breves e simples de se imaginar. Talvez alguns leitores se incomodem com a narrativa direta do livro, que não faz questão de “preparar” o terreno com descrições mais longas ou detalhadas. Ela abre mão desse recurso, deixando as situações cômicas bem próximas umas das outras, prezando mais o humor do que a lógica em certos momentos. Não que isso seja um ponto fraco na obra, mas pode causar estranheza. A relação de tempo é linear, apenas no início um flashback é introduzido para explicar a atual situação da protagonista. A revisão está boa, alguns erros, mas nada que prejudique a leitura. A diagramação é um dos pontos altos. A editora foi muito competente nessa parte. Cada capítulo é representado por uma numeração, o nome do capítulo e um desenho feito pela própria autora. A capa é muito bem trabalhada, mostrando a protagonista deitada na cama e Zack sentado na janela.

Foto da ilustração de um capítulo
 Vivianne Fair (Chefa, para os íntimos) nasceu no Rio de Janeiro e atualmente mora em Brasília.  É artista plástica e escritora desde que aprendeu a escrever, pois escrevia pequenos livros, enchia de desenhos e grampeava as páginas, passeando com eles por aí. Tornou-se ilustradora, quadrinista e também é professora de inglês e desenho e cosplayer nas horas vagas.
Recomendo o livro principalmente para as meninas (até porque eu não vejo nenhuma graça no Zack sem camisa), pois a obra tem toda uma pegada forte de romance, mas indico principalmente para quem gosta de piadas, pois o que mais define a história são as situações engraçadas que a protagonista e seu alvo passam. Recomendo ainda para os entusiastas da cultura pop, já que o livro é cheio de referências a filmes, séries, animes.
Caçadora – Sorriso de Vampiro é uma comédia romântica que cumpre aquilo pelo qual foi feito e pelo qual a autora se destaca: arrancar sorrisos dos leitores.




Bibliografia de Vivianne Fair (ordem cronológica):

Livros:

  • Cavaleiros do RPG – Editora Livronovo (2009); republicado e renomeado como “Quem precisa de heróis?” pela Editora Lexia (2010);
  • A caçadora (vol. 1): Sorriso de vampiro – Editora Livronovo (2010);
  • A caçadora (vol 1, segunda edição): Sorriso de vampiro – Editora Draco;
  • A caçadora (vol. 2): Sussurro das sombras – Editora Lexia (2011);
  • A caçadora (vol. 3): Temporada de caça – Editora Lexia (2012);
  • O caçado (vol. 1): Os olhos da caçadora – Editora Lexia (2012).


E-books:

  • Steph, a super-hiperativa – à venda pela Amazon.com (2013).


Participações:

  • Drácula Eternamente – participação com o conto “Quando conheci o Drácula”, Editora Estronho (2012);
  • Sociedade das sombras: contos sobrenaturais – participação com o conto “Entre a caça e os caçadores”, Editora Estronho (2012).



Comentários
7 Comentários

7 comentários:

  1. Não compraria o livro pela capa, acho que a ilustração poderia ser melhor. Porém, amaria lê-lo, parece muito divertido e ela gosta das mesmas coisas que eu, ohlord! Fiquei com vontade agora, hehe. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariana, o livro é muito divertido. Vale a pena se você busca uma leitura despretenciosa e prazerosa ;)

      Excluir
  2. Hahaha, muito obrigada pela resenha!! Adorei e achei super completa! Haha, obrigada pela paciência de ler romance, Luciano! Kkkk!

    ResponderExcluir
  3. A resenha mostra mais que a capa. O título , a capa e a sinopse não chamaram minha atenção, mas sua resenha trouxe a verdadeira obra por trás do superficial dos elementos citados. Gostei deveras, não conhecia e vou procurar saber mais.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Gente estou a maior fominha por romances envolvendo vampiros rsrs esta em particular me pareceu muito gostosa pq além de tudo mistura uma dose de humor rsrs bjs adorei a resenha...
    http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. olha, eu acho que riria muito lendo, ainda mais com tanta referência a coisas que gosto [vampiros, RPG, animes e talz]. Meio que me identifiquei com Zach e um pouco com a protagonista[tirando a parte de falar de futilidades]. Não conhecia o trabalho da autora, vou dar uma sacada em alguns títulos que me soaram interessantes...
    bjs. ^^

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!