Tecnologia do Blogger.

22/03/2016

RESENHA - O Último dos Canalhas (Loretta Chase)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: CHASE, Loretta. O Último dos Canalhas. 1ª edição. São Paulo, Arqueiro, 2015. 304 páginas.
Gênero: Romance.
Temas: Romance de época.
Categoria: Literatura Estrangeira.
Ano de lançamento: 2015.
Série: O Príncipe dos Canalhas (livro 1); O Último dos Canalhas (Livro 2).









Foi só por um momento, mas o suficiente para atrapalhá-la. Ela ainda levou um tempo para se recuperar totalmente. Apesar de ter conseguido executar muito bem a saudação fria, teve uma suspeita horrível de que seu sorriso tinha se alargado demais e... bom, estúpido, para ser sincera. Um sorriso imbecil, lunático, refletiu raivosa, combinando com as pancadas idiotas do coração. Como se ela fosse uma garota boba de 13 anos, e não uma solteirona endurecida de 28 anos
*O Último dos Canalhas (pág. 45).




        Lydia Grenville é uma mulher independente que se virou sozinha para sobreviver desde a infância. A jornalista se esconde atrás de um codinome para proferir histórias reais do submundo inglês e de ficção sobre aventura e romance, o que desafiava a moral e os bons costumes da sociedade londrina de 1826.
         Em meio a uma investigação, Lydia descobre o amor de um homem acobertado por títulos e gerações de uma família conhecida como a dos “canalhas”. Depois de sofrer com a morte de parentes próximos, Vere Mallory, o último canalha da família, tem a fama de durãol manchada quando Lydia bate nele em público. Jurando se vingar daquela mulher que o intrigou, Vere desvenda o coração de pedra de Lydia e nota que ela era o que faltava na vida dele.
         Em ‘O Último dos Canalhas’, Loretta Chase nos propõe uma trama muito parecida com a do primeiro livro da série, ‘O Príncipe dos Canalhas’(resenha aqui!): uma mulher desobediente que não aceita as regras impostas pela sociedade na qual vive e um homem rico, sedutor e, inicialmente, sem coração. Em princípio, eu temia que a obra não trouxesse algo novo, tornando-se maçante, apesar de eu ter gostado muito da primeira publicação da série.
         Porém, ao iniciar a leitura e perceber que a autora trouxe personagens do primeiro livro para este, me animei. Lydia e Vere são personagens aparentemente opostos, mas, na verdade os dois sofreram perdas irreparáveis durante a vida, que os transformaram em pessoas de corações duros e frios. Lydia pensa que Vere é um aristocrata sem cabeça e ele pensa que Lydia é uma jornalista sem pudores. A partir daí, ambos não conseguem viver sem espionar a vida um do outro.

Créditos: Isadora Teixeira


         Com temperamento forte e pensamentos quase feministas – o que era impensável no século em que se passa a trama – transformou Lydia em uma das minhas personagens favoritas. Vere é um lorde rico que vive sozinho, mas, ao descobrir mais sobre os fantasmas do passado dele, os sentimentos que nascem no leitor são de clemência, pesar, misericórdia... Quando descobrimos que Lydia e Vere são ligados a Lorde Belzebu e Jessica Trent, a empolgação chega ao ápice. E pronto: Loretta casou o segundo livro da série com o primeiro e criou uma trama excepcional.  
       As cenas de sexo hipotético e os diálogos compulsivos, características das tramas da autora também fazem parte da obra. O livro é narrado em terceira pessoa por um narrador onisciente. A trama tem uma sequência cronológica linear, com algumas analepses que não atrapalham a fluidez do raciocínio. ‘O Último dos Canalhas’ não fugiu à regra da Arqueiro. como a maioria dos livros de romance de época da editora, a obra não tem uma apresentação gráfica atraente. O livro é muito simples, não há sequer mudança de página quando inicia um novo capítulo.



       Quem não leu o primeiro livro não precisa se preocupar. A série “Canalhas” contém cinco livros, mas apenas dois já foram lançados pela Arqueiro. Cada trama conta a história de um casal diferente. Apesar de todos os personagens terem uma ligação pessoal, a série não possui uma sequência e pode ser lida na sequência que o leitor preferir.


Bibliografia de LORETTA CHASE (ordem cronológica):

Livros:

  • O Visconde Vagabundo – Editora Signet (2004).
  • O Príncipe dos Canalhas - Editora Arqueiro (2015).
  • O Último dos Canalhas – Editora Arqueiro (2015).

Top Comentarista nº19: Clique para participar

Comentários
31 Comentários

31 comentários:

  1. Sou apaixonada por romances de época, e quando a editora Arqueiro anunciou este livro, já adicionei em minha lista de desejados sem ao mesmo ler sua sinopse.
    Lydia parece uma protagonista que todo leitor gosta de ver em uma estória: determinada e que foge completamente das regras de sua época. Sem falar do romance que arranca grandes suspiros, prendendo á narrativa do começo ao fim.
    Adorei saber o quanto você gostou, isto só aumentou minhas expectativas que antes já eram grandes. Quero ler em breve.
    Bjs, Isa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Alessandra. Incentivo a leitura desse livro e do primeiro da série, que é O Príncipe dos Canalhas. Você também vai gostar!
      Bjs

      Excluir
  2. Gostei muito do primeiro que li dela por ser diferente dos que costumo ler do gênero. Ela criou personagens únicos, não inocentes e bobinhos como muitos fazem, mas aqueles que "pensam fora da caixa" como dizem, personagens de opiniões fortes... Adorei isso!
    Esse parece seguir a ideia à risca e é outra história bem interessante e nada clichê. Ainda vou ler, mas já dá pra saber que é bom e acho que vou gostar como gostei do outro. O personagem chamou atenção naquele primeiro livro e fiquei animada que tivesse um só dele. Querendo ler logo e torcendo pra sair outros da autora por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As mulheres protagonistas são uma marca de autoras como Loretta Chase. É muito bom perceber que há autoras retratando mulheres com personalidades fortes. Estou torcendo para os próximos livro saírem logo também!
      Bjs

      Excluir
  3. Oi!
    Quero muito ler essa serie da Loretta Chase, gostei da historia do primeiro livro e com esse não foi diferente, gosto muito das mocinhas forte e independente que não segue o padrão da sociedade daquela época por isso a Lydia me conquistou ainda mais sendo uma jornalista e esse casal parece ser bem teimosos o que acho que ira reder cenas bem engraçadas !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Su! Eu também gosto das personagens com temperamento forte e que fogem do padrão da sociedade. Até agora, a série da Loretta tem me deixado muito satisfeita.

      Bjs

      Excluir
  4. Adoro ler romances de época e to bem curiosa para ler O último dos Canalhas, gosto muito do jeito humorado e sarcástico da autora de escrever.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fora as protagonistas que têm uma personalidade forte, não é?! A autora sabe como prender leitores que acreditam na força feminina.

      Excluir
  5. Olá, entre romances de época e histórico, eu prefiro romance histórico de longe, mas essa parece ser uma boa obra, pois a autora parece ter colocados tons de humor na trama, além disso é uma obra que faz sucesso, então no mínimo é sinal de competência da autora, não pretendo ler por agora, no futuro sim, no momento só vou indicar para minhas amigas. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Romances de época são um nicho bem específico e é difícil alguém gostar mais ou menos; ou as pessoas amam ou odeiam, afinal, quase todos são mais do mesmo, infelizmente. Porém, eu recomendo os da Loretta em especial pela construção dos personagens excêntricos. Bjs!

      Excluir
  6. Oi!
    Eu li este livro recentemente e definitivamente não gostei muito.
    Meu maior problema com a trama em si foi o Vere, que foi um personagem pelo qual eu só sentia ódio e desgosto.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gustavo! O Vere é um personagem intrigante mesmo. Confesso que no início da leitura eu também não senti simpatia por ele, porém, ao desenrolar do romance dele com Lydia eu tive a impressão que o caráter dele sofreu uma transformação espetacular. Bjs!

      Excluir
  7. Oi Isadora!
    Confesso que gosto muito do título desse livro Hahahaha
    E começo a achar que devo ler algo da autora para conhecer e entender o que ela escreve, pelo que você falou a trama parece ser interessante, mas eu tenho uma espécie de TOC com essas coisas que tem uma ordem, mas não tem, que são independentes e não são ao mesmo tempo... Eu gosto de ler na ordem, apesar de não ser necessário, sabe? #loucuras
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Eu concordo com você. Apesar de alguns livros serem independentes dentro de uma série, prefiro ler na ordem de lançamento. Afinal, é mais interessante seguir a sequência dos autores. Bjs!

      Excluir
  8. Oiii Isadora, tudo bem?
    Confesso que tenho um amor incondicional por romances de época, mas este que resenhou não consigo me agradar, achei o título meio sem noção e até a premissa me desanimou. Eu gostei bastante do seu texto e das fotos que tiraste. Pularei a dica da vez.
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Morgana! Tudo ótimo, e como você está?
      Eu também não gostei do título, achei até fora do contexto. Obrigada pelos elogios referentes ao texto e às fotos! Acompanhe as próximas dicas de leitura, quem sabe você se interessa por alguma. Beijos!

      Excluir
  9. Isadora, amo romances de época e acho muito chato o fato da Arqueiro não dá mais atenção a parte gráfica deles, ainda mais esse que o próximo capítulo já começa no meio da página. Não gosto.
    Achei a história boa, mas pra mim, Loretta acertou mais no príncipe dos Canalhas.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Déborah! Eu também acho que deveria haver mais zelo com a gráfica do livro, já que isso também faz parte da obra. O Príncipe dos Canalhas é espetacular e concordo que é difícil superar a trama da primeira obra da série. Bjs!

      Excluir
  10. Ri aqui da Lydia ter batido nele em público... deve ser divertido acompanhar essa parte em que um espiona a vida do outro. Queria entender melhor como são essas cenas de sexo hipotético, porque o que me faz não ler os romances de época são as cenas hot incluídas neles, que não curto. Tenho um pouco de agonia desses capítulos que se iniciam sem mudar de página, mas quando leio um livro assim penso em quantas árvores foram salvas já que foi utilizado menos papel... rs...

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ju! A parte em que Lydia agride fisicamente (e seriamente) Vere é hilária. Nos romances de Loretta o sexo é representado de uma forma quase inimaginável da forma que é construído o texto. Se você ainda não conhece a série, leia, tenho certeza de que irá gostar das obras da autora. Bjs!

      Excluir
  11. O que são pensamentos ‘quase feministas’? essa parte me deixou curiosa. Bom, já muitas, muitas resenhas sobre o livro, a ponto de ficar com a sensação que já o li, apesar de não curti muito, não nego que seja bom, pela experiência que tenho com a editora, que sempre traz um diferencial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lilian! "Pensamentos quase feministas" foi uma referência as atitudes da protagonista Lydia. Ela é dona de um temperamento forte e acredita que as mulheres não são submissas aos homens. Porém, o "quase" se insere no contexto quando ela praticamente abandona as crenças para viver o amor ao lado de Vere, que era um homem que não tinha o mínimo respeito pelas mulheres. Bjs!

      Excluir
  12. Oi!
    Eu li o primeiro livro da série "Os canalhas" e adorei!
    Estou louca para ler esse, já estou ele em mãos e espero poder fazer isso muito em breve. Loretta Chase se tornou uma das minhas autoras favoritas por sua forma de escrever :)

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, Loretta Chase é uma das minhas autoras mais amadas também. Me conte depois o que achou do segundo livro da série "Os Canalhas".
      Bjs!

      Excluir
  13. Yey! Ah, parece ser mega interessante! :D Fiquei curiosa sobre os pensamentos "quase" feministas, hehehe. Amei a capa, puro amor. E que fotos lindas, mesmo! <3
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yasmin. A capa retrata o personagem perfeitamente como ele é na trama. Leia o livro, você irá amar a Lydia! Ela é uma mulher intrigante.

      Obrigada!
      Beijos.

      Excluir
  14. Muito bacana uma personagem feminista nessa época, parece ser um romance histórico muito interessante e fluído de ler. Nunca li nada da autora mas quero fazê-lo o quanto antes! Acho que vou ler os livros na ordem para não perder nada. Abrçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dan! Leia na ordem mesmo, foi como eu fiz e indico. Você não vai se arrepender de conhecer as obras da Loretta! Beijos.

      Excluir
  15. Eu costumo gostar bastante de romances de época, mas a maior parte dos novos tem me decepcionado bastante, pois parece que perderam um pouco o brilho, entende? Aquela atmosfera mágica e tals.
    Daí eu não acho que eu vou ler, apesar de parecer bem bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda! O problema de romances de época é que eles possuem, basicamente, a mesma base da trama. Geralmente são histórias de uma mulher solteira que se apaixonada por um homem que não demonstra ter coração e, no desenrolar, eles se apaixonam, se casam e são felizes para sempre. Alguns, no entanto, surpreendem; mas é raro. Bjs!

      Excluir
  16. Eu costumo gostar bastante de romances de época, mas a maior parte dos novos tem me decepcionado bastante, pois parece que perderam um pouco o brilho, entende? Aquela atmosfera mágica e tals.
    Daí eu não acho que eu vou ler, apesar de parecer bem bom

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!