Tecnologia do Blogger.

14/10/2017

RESENHA – Honey (Kristen Ashley)

ATENÇÃO!
A obra resenhada apresenta cenas eróticas. Leitura não recomendada para menores de 18 anos.

Kristen Ashley
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: ASHLEY, Kristen. Honey – série “Honer”. 1ª edição. São Paulo, Universo dos Livros, 2017. 512 páginas. Tradução: Alline Salles.
Gênero: Erotismo
Temas: BDSM, clube erótico
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura Americana
Ano de lançamento: 2017 nos Estados Unidos da América e 2017 no Brasil
Série: Honey (Livro 1) e Passion (Livro 2)

“Mas há aqueles de nós que compreendem a vida e há aqueles que desejam viver do lado de fora mesmo que precisem do que podem ter nos momentos em que se permitirem.”
Honey (Livro 1). (pág. 433)



Caros leitores, tanto pela capa quanto pela sinopse deste livro você já percebe que a história será erótica. Contudo, mesmo sabendo disso, e sendo fã de romance erótico, eu nunca li um livro que se aprofundasse tanto nas cenas de BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo). Calma que vou explicar melhor.
Se você me perguntar: Gabi, afinal, você gostou da história? Eu te direi que sim, eu gostei. Mas o que mais gostei foi que ele me tirou da minha zona de conforto, principalmente dos estereótipos que eu já estava acostuma nesses tipos de livro. Em vários momentos eu me peguei pensando: “não, isso não pode ser verdade. Será?”. E isso foi positivo, pois gerou uma curiosidade para saber como é a vida de um casal que pratica BDSM, será que eles têm vergonha? Será que assumem que praticam esse “jogo”? Agora que me expressei, vou falar mais sobre a história.
Neste livro vamos conhecer a Amélie Hélène Strand, também conhecida como Ama Amélie, uma dominatrix respeitada e cobiçada no clube de elite erótico “The Bee's Honey”, que era voltado para dominação e submissão. Muitos submissos a procuravam por conta do seu estilo de jogar.
A Amélie além de linda, ela era riquíssima e tudo na sua vida ia bem, menos na parte amorosa, pois, para a sua infelicidade, há um bom tempo não encontrava nenhum submisso que a satisfizesse fora do clube. Os que ela gostava de “jogar” sempre se mostravam que não seriam bons parceiros fora do clube, e ela havia chegado numa fase da vida que queria constituir uma família.
Quando ela retornou de uma viagem exaustiva e foi para o clube, a ama se deparou com o novato Olivier Hawker (Ollie). Por conta do seu porte, ele chamou a sua atenção logo de cara. Determinada a testar até que ponto o submisso aguentaria, ela não perdeu tempo e o levou para uma sala de jogos.
O Olivier era bombeiro. Sabe aquele tipo de bombeiro que faz as mulheres suspirarem por aí? Sim, ele é esse cara. Apesar de ser um macho alfa, ele sempre curtiu a submissão. Todavia, ele não tinha experiência. Ele havia passado por duas dominadoras, mas nenhuma foi satisfatória, inclusive, uma delas o fez mais sentir dor do que prazer.
Como ele buscava uma boa “ama”, ele conseguiu ser aceito no Honey. Com isso, ele logo descobriu que a melhor para ele seria a Amélie.
Os dois perceberam que tinham muita química e passaram a descobrir que eles tinham muita afinidade.
O livro tem várias cenas picantes, sendo que 80% dos capítulos se passam dentro do Honey. Além disso, você vai vivenciar cenas totalmente diferente das quais podia imaginar ler em um livro, mas elas são bem trabalhadas, o que prende a atenção.
Leitores, a personalidade da Amélie foi um diferencial para mim. Confesso que nunca tinha lido nenhum livro em que os papeis foram invertidos, ou seja, da mulher ser, literalmente, a dominadora e rica e o homem ser o submisso pobre, pois a maioria é sempre a mocinha inexperiente que vai aprender com o cara “fodão” bilionário, como os livros “Cinquenta tons de cinza”, “Toda sua”, “Eu, submissa”, entre outros tantos livros que existem por aí.
Além disso, apesar da Amélie ser bem resolvida com a sua vida sexual, o Ollie ainda está preso na vergonha de assumir que é um submisso e que frequenta um clube erótico. Por conta disso, esse casal teve que lidar com alguns dramas cotidianos para que pudessem, ou não, superar as questões mal resolvidas.
A Kristen Ashley, autora do livro, é a irmã caçula de uma típica família de Indiana, Estados Unidos. Seu sonho sempre foi escrever, e alcançou esse objetivo com maestria tornando-se uma autora best-seller do The New York Times e do USA Today com mais de cinquenta romances publicados e seus grandes sucessos traduzidos em mais de dez línguas.
O livro é composto por 20 capítulos, e é narrado pela Amélie e pelo Olivier, de uma forma linear cronológica, em terceira pessoa. Ao final do livro foi disponibilizado um trecho do próximo da série Honer, Passion, que contará a história de dois personagens que aparecem, rapidamente, no livro: Brunch e Evangeline.  
Confesso que estou bem ansiosa para saber mais sobre esse novo casal. O Branch tem uma áurea misteriosa e fiquei muito curiosa para saber o que aconteceu com a Evangeline no clube.
Honey
Fonte: http://www.kristenashley.net/

Bibliografia da KRISTEN ASHLEY (ordem cronológica):
 
Livros:
  • O estranho – série “O Homem dos Meus Sonhos” - Fábrica 231 (2016)
  • O selvagem – série “O Homem dos Meus Sonhos” – Fábrica 231 (2017)
  • Honey – série “Honer” - Universo dos Livros (2017)
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Como você disse, é bem interessante que o livro tenha investido nessa inversão de papeis. Realmente, no gênero tem muito mais do mesmo. Nao é algo que eu leria no momento, mas deve ter sido inovador e até legal acompanhar o envolvimento do casal durante a trama.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria, o interessante do livro foi a inversão de papeis ;)

      Excluir
  2. Gabi!
    Os livros BDSM estão cada vez mais em alta, mas também confesso que é a primera vez que vejo uma mulher como dominante, geralmente elas são as submissas e é muito interessante, porque ela se impõe e mostra a que veio, tornando seus submissos, cordeirinhos...fascinante.
    Preciso ler!
    Um final de semana alegre e feliz!
    “Não há nada que faça um homem suspeitar tanto como o fato de saber pouco.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rudy, se você gosta de livros com BDSM então acredito que você gostará deste ;)

      Excluir
  3. Oi Gabi, eu gostei da resenha e confesso que inicialmente achei que esse livro tinha um romance mais leve e quando comecei a ler nas resenhas que ele era bem erótico e BDSM perdi um pouco do interesse, acho que é o tema, tô dando um tempo dele pra ver se ele volta a prender minha atenção. Ainda assim curti a resenha, também não li nenhum livro com uma Dominatrix, ou melhor, tentei ler mas na primeira cena dei pra trás, sei lá kkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lili, confesso que quando escolhi este livro para ler fui apenas pela capa e pela sinopse, e ambos não dão a entender que o livro seria de BDSM, apenas erótico. Apesar de ela ser a dominadora, não senti que foi forçado, a personagem desempenhou muito bem o papel dela rsrsrs

      Excluir

Deixe o seu comentário!