Tecnologia do Blogger.

21/05/2017

Horóscopo dos livros: Gêmeos

horóscopo
Fonte da imagem: www.astrocentro.com.br
Olá, amigos leitores,

A partir de hoje, iniciaremos um novo ciclo dos nossos horóscopos literários. Por canta disso, nada melhor do que começar com o melhor signo que existe – o de gêmeos, que é o meu. :)

Nota do editor: E lá vai eu esperar um ano pelo meu horóscopo :(

Como uma boa geminiana, tenho uma certa tendência a enjoar das coisas. Pensando nisso, para não ficarmos apenas nos personagens literários masculinos e femininos que se relacionam com cada signo, como foi no ano passado, resolvi introduzir a leitura de um carta de tarot, que será literário, obviamente.

Quanto ao tarot, sortearei uma carta e a imagem que aparecer nela farei uma relação dela com algum livro, seja com personagem, capa, história ou autor.

Todavia, gostaria de ressaltar que não entendo nadica de nada de signos e, muito menos, de tarot. Desta forma, nada mais justo do que pedir ajuda ao pai Google e a minha amiga Miriam Araújo, que entende muito sobre o assunto, para me auxiliarem. 

Queridos, ressalto que esses posts têm como objetivo apenas descontrair, ok?

Abaixo podemos conferir, segundo informações extraídas do site Personare, os dados que tratam do signo de gêmeos e da carta de tarot sorteada.


Gêmeos (21 de maio a 21 de junho) 


Elemento: Ar (é o elemento que aborda tudo em termos de análises, elucubrações e reconhecimentos de padrões. O Ar comunica tudo.)

Regente: Mercúrio (Esse é o planeta da razão. Mercúrio está relacionado a tudo o que envolve o raciocínio e a inteligência humana. É também o astro da comunicação e do comportamento mental. Ele revelará a forma como você se expressa.)

Cor: Amarelo (É ativadora e dinâmica, age sobre os processos mentais. O amarelo afasta as ideias fixas e pode aumentar a capacidade de raciocínio. É a cor da inteligência, do estudo e da criatividade.)

Flores: Rosas (Sua personalidade engenhosa e expressiva coincide com as rosas, que simbolizam tanto o amor como a amizade.)

Pedras: Ágata, esmeralda e quartzo rutilado

Perfil: No signo de Gêmeos, podemos encontrar a manifestação viva do poder da linguagem. Vive em sua própria mente, dialogando e especulando. Elabora raciocínios brilhantes, trazendo luz para outras pessoas.

Principal frase: “Eu penso, logo existo” 

Julia Quinn.
Personagem feminina: Eloise Bridgerton do livro “Para Sir Phillip, com amor”, da autora Julia Quinn. 

Sinopse do livro: Eloise Bridgerton é uma jovem simpática e extrovertida, cuja forma preferida de comunicação sempre foram as cartas, nas quais sua personalidade se torna ainda mais cativante. Quando uma prima distante morre, ela decide escrever para o viúvo e oferecer as condolências. Ao ser surpreendido por um gesto tão amável vindo de uma desconhecida, Sir Phillip resolve retribuir a atenção e responder. Assim, os dois começam uma instigante troca de correspondências. 

Breve avaliação: A Eloise é uma das pessoas mais comunicativas que existe. Tanto é que uma das suas atividades favoritas é enviar cartas para as pessoas. Inclusive, seu romance com o Sir Phillip se iniciou por conta de trocas de correspondência. Além disso, não podemos deixar de comentar a sua notável capacidade de sempre tagarelar.

Para ler a resenha deste livro clique aqui.

J. Lynn
Personagem masculino: Cameron Hamilton do livro “Espero por você”, da autora J. Lynn. 

Sinopse do livro: Algumas coisas valem a pena esperar. Algumas coisas valem a pena experimentar. Algumas coisas não devem ser mantidas em silêncio. E, por algumas coisas, vale a pena lutar. Avery Morgansten precisa fugir. Ir para uma faculdade a centenas de quilômetros de casa foi a única forma que encontrou para esquecer o acontecimento fatídico que, cinco anos antes, mudara a sua vida para sempre. O que não estava em seus planos era atrair a atenção do único rapaz que pode mudar totalmente a rota do futuro que Avery está tentando construir. Cameron Hamilton tem um metro e noventa de altura, impressionantes olhos azuis e uma habilidade notável para fazer com que Avery deseje coisas que ela acreditava terem sido roubadas irrevogavelmente dela. Envolver-se com ele é perigoso. No entanto, ignorar a tensão entre eles — e despertar um lado dela que nunca soube que existia — é impossível. Até onde ela estará disposta a ir e o que fará para esquecer o passado e viver aquela relação intensa e apaixonada, que ameaça ruir todas as suas certezas e fazê-la conhecer um mundo de sensações que julgava estar negadas para sempre?

Breve avaliação: O Cam é um personagem apaixonante. Por conta do seu jeito comunicativo, as pessoas se apaixonam facilmente por ele, inclusive, eu! Claro que não posso deixar de comentar que ele tem uma tartaruga de estimação chamada Raphael, que recebeu este nome em homenagem às “Tartarugas Ninjas”. Criativo, não é mesmo? rsrs

Para ler a resenha deste livro clique aqui.


Carta de tarot sorteada:



tarot
Fonte da imagem: www.iquilibrio.com
O Cavaleiro de Ouros sugere a capacidade do esforço dedicado na direção das coisas almejadas. Trata-se, acima de tudo, de uma figura realista, que só luta por aquilo que sabe poder conseguir e vai com paciência, lentamente, comendo pelas beiradas até conseguir o que deseja.

Cassandra Clare
Livro relacionado à carta: Não sei o motivo, mas pensar em cavaleiro de ouro, ainda mais com essa descrição do site Personare, veio-me o Julian Blackthorn, do livro “Dama da Meia-Noite”, da autora Cassandra Clare. E vocês, o que acham?

Para ler a resenha deste livro clique aqui.








Por fim, quem quiser curtir uma boa música, basta acessar a playlist do Superplayer que apresenta uma seleção de músicas que se relacionam com os geminianos (para acessar, clique aqui)



É isso, até a próxima, queridos leitores!


Astróloga literária (rsrsrs) Gabi Crivellente
Leia Mais ►

20/05/2017

RESENHA – Raio de Sol (Kim Holden)

Kim Holden
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: HOLDEN, Kim. Raio de Sol. 1ª edição. São Paulo, editora Planeta, 2016. 443 páginas. Tradução: Regiane Winarski
Gênero: Ficção, Romance, New Adult
Temas: faculdade, doenças, amizade
Categoria: Literatura Estrangeira
Ano de lançamento: 2014 no exterior e 2016 no Brasil
Série: Raio de Sol (Livro 1)


“Você me disse para fazer épico. Eu tento. Você conseguiu. Você fez todos os dias épicos.”
Raio de Sol – Livro 1 (posição 6.646 - E-book via Amazon)



Leitores, confesso que antes de iniciar a leitura deste livro eu julguei (ok, podem me criticar!) o título dele. Pensei: “nossa, a personagem “Raio de Sol” deve ser um porre de tão doce”. Porém, admito que me surpreendeu, e muito, este livro.
Aqui vamos conhecer a Kate Sedgwick, uma garota simples e que tenta sempre ver a parte boa das coisas. Mas não se enganem, como eu. Ela não tem nada de coitadinha ou sem graça. Inclusive, ela fala muito palavrão. A mãe dela, Janice, tinha problemas psicológicos e não deu muita atenção para ela e sua irmã mais velha, Grace, que tinha Síndrome de Down. Por conta disso, a Kate assumiu a responsabilidade de cuidar da irmã.
O Gus Hawthorne era vizinho da Kate e o seu melhor amigo, desde a infância. Foi ele quem apelidou a Kate de “Raio de Sol”. Já a Audrey, mãe do Gus, sempre tratou as irmãs como se fossem também membros da família, por conta da convivência delas com o filho.
           A história começa com a separação física dos dois amigos. Haja vista que o Gus tinha uma banda de rock, Rook, que entraria em uma turnê. Já a Kate conseguiu uma bolsa de estudos em uma faculdade que ficava distante da cidade deles.
          Confesso que nunca torci tanto para que a mocinha ficasse com o melhor amigo. O Gus é simplesmente demais, o melhor cara para se ter como amigo, namorado, parceiro...
           Antes de chegar à cidade, ela precisou se hospedar com a vaca  irmã da sua mãe, Maddie. Elas não se conheciam muito bem, tendo em vista que a Kate só soube da existência da tia no enterro do avô. Nem vou perder muito tempo aqui pra falar sobre ela, pois a mulher era muito tosca, uma das mais egoístas e narcisistas que eu já conheci.
            A Kate fez algumas amizades na faculdade, entre elas com o Clayton, que sofreu preconceito, por alguns membros da faculdade, por ser gay. Não posso deixar de comentar aqui sobre o Keller Banks, um cara que além de lindo era misterioso. No primeiro momento em que os dois se conheceram eles sentiram uma atração. Todavia, ele não estava disposto a se envolver, por guardar alguns segredos que não queria revelar.
         Queridos leitores, não posso mais contar sobre o livro. Contudo, é uma leitura muito bacana. Não vou mentir, o final do livro me fez extrair algumas gotinhas de lágrimas. Em vários momentos eu pensei: “Será que a autora vai ter coragem de fazer? Como pode?”.
          A autora do livro, Kim Holden, estreou na literatura em 2013, com o romance juvenil “All of it”, e conquistou milhares de fãs com Raio de Sol, publicado nos Estados Unidos da América em 2014 sob o título “Bright Side”. Casada e mãe de um garoto, mora em Denver, no Colorado. Adora andar de bicicleta e é apaixonada por café gelado e música. Seus livros têm influências de bandas como The Cure, Sunset Sons e Teenage Bottlerocket. Para saber mais sobre a autora, clique aqui.
O livro foi narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista da Kate e do Keller. Os capítulos se iniciam com datas, para situar o leitor na cronologia da história.
Gostei do livro, pois ele abordou várias questões (homofobia, bulimia, aborto...) que nos levam a refletir mais sobre a vida. Estou ansiosa para ler a continuação, lançada no exterior em 2015, que contará a história do Gus, um dos meus personagens favoritos.
Bibliografia da KIM HOLDEN (ordem cronológica):
Kim Holden

Livros:

  • Raio de Sol – Planeta (2016)
Leia Mais ►

16/05/2017

RESENHA – Cadu e Mari (A.C. Meyer)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: MEYER, A.C. Cadu e Mari. 1ª edição. Rio de Janeiro, Galera Record, 2017. 280 páginas.
Gênero: Romance juvenil, comédia romântica
Temas: mal entendido, golpe, bullying
Categoria: Literatura Nacional
















“E eu fui, sem medo, sem nem pensar, mesmo sem saber o que me esperava. Ele entrelaça os dedos nos meus, minha mão trêmula de ansiedade, com sua mão forte, nos guiando pela escada, em direção ao quarto, que seria nosso, esta noite”.
Cadu e Mari. (pág. 165)




Queridos leitores, a autora deste livro é a mesma quem escreveu a série “After Dark”, um romance jovem adulto muito bom. Neste novo romance ela usa uma escrita mais leve e descontraída.
Sendo assim, nesta história vamos conhecer a Mariana (Mari), que era assistente do diretor, Carlos Eduardo (Cadu), da Be, uma das revistas de moda mais famosas do país.
Ela era uma profissional supercompetente, inteligente e dedicada. Inclusive, ela me lembrou da personagem Pepper Potts, do quadrinho Homem de Ferro. Não pela aparência, mas pela dedicação ao trabalho. Por falar em aparência, foi outro ponto positivo para a história, haja vista que a Mari não usava tamanho “P”, como estamos acostumados com as personagens principais que encontramos por aí. Pelo contrário, ela usava tamanho 44 e era linda do mesmo jeito. 
Infelizmente, algumas pessoas que trabalhavam na empresa com a Mari, achavam que por ela estar um pouco acima do peso ela não deveria trabalhar na Be. Obviamente, isso sempre causava um desconforto nela. Não que ela tivesse alguma paranoia por conta do peso, mas porque essa questão não deixava se ser um bullying, a forma como os colegas de trabalho a tratavam.
O Cadu era um cara sério e dedicado à revista, que era do seu pai. Ele sempre gostou do trabalho da sua assistente. Todavia, nunca tinha olhado para ela de uma forma diferente. Até que um belo dia, na hora do almoço, ele a viu sentada de frente para a praia com os cabelos soltos – normalmente, ela usava o cabelo preso no trabalho. Depois disso, ele foi se sentar com ela, e daí em diante ele passou a reparar na sua assistente e em como ela era sexy.
Após esse dia, eles se encontraram uma balada, e passaram a se relacionar. Tudo estava ótimo, até o o irmão do Cadu, Zeca, começar a colocar “minhocas” na cabeça dele. Ele dizia que a Mari, que morava no subúrbio do Rio de Janeiro, queria se aproveitar do chefe para poder subir de vida e na carreira. Por conta disso, em alguns momentos, ele ficava receoso com a sua assistente e sem saber se ela de fato queria apenas se aproveitar do dinheiro.
No decorrer da história, essa falta de confiança vai influenciar em um problema na empresa, que não contarei aqui para vocês.
Leitores, admito que na metade do livro eu fiquei um pouco sem paciência para o casal. Digamos que eles estavam muito “melosos”. Ficou muito romance para um leitura só. Porém, mais para o final há uma reviravolta na história que não nos deixa abandonar a leitura.
A autora, A.C. Meyer, mora no Rio de Janeiro e é viciada em livros. Mesclando diversão e romance, atinge o tom das comédias românticas que encantam do começo ao fim. Sua série After Dark é um enorme sucesso entre os leitores.
O livro possui 33 capítulos mais o epílogo, e é narrado de forma linear cronológica. Ele foi escrito em primeira pessoa, com perspectivas alternadas entre o Cadu e a Mari, que nos permitem ver diferentes pontos de vista dos personagens.  Este é um bom livro para ser lido em um domingo, de uma forma tranquila.
Por fim, ressalto que o livro é nacional e foi ambientado no Rio de Janeiro. Sendo um dos pontos positivo foi que a cada início de capítulo a autora mostra um trecho de uma música, admito que gostei de praticamente todas as músicas que ela selecionou, que são quase todas nacionais (para ver a playlist, clique aqui). Para saber mais sobre a autora, basta acessar o site dela: https://www.acmeyer.com.br/.

Bibliografia da A.C. MEYER (ordem cronológica):
Cadu e Mari

Livros:
  • Louca por você – Universo dos Livros (2014)
  • Apaixonada por você – Universo dos Livros (2015)
  • Fascinada por você – Universo dos Livros (2015)
  • Encantada por você – Universo dos Livros (2016)
  • Dia dos namorados especial - conto – Universo dos Livros (2016)
  • O primeiro natal - conto – Universo dos Livros (2016)
  • Surpresa para você - conto – Universo dos Livros (2016)
  • Depois do felizes para sempre - conto – Universo dos Livros (2016)
  • Louco por elas - conto – Universo dos Livros (2016)
  • Mensagem para você – Andarella (2016)
  • Cadu e Mari – Galera Record (2017)
Leia Mais ►

15/05/2017

Evento: Dia do Orgulho Nerd

Olá, queridos leitores da Academia! Temos evento essa semana! Preparem sua toalha porque vem ai mais uma edição do Dia do Orgulho Nerd!



O que é?

O Dia do Orgulho Nerd, ou Dia do Orgulho Geek, é uma iniciativa que defende o direito de toda pessoa em ser um nerd ou um geek, e para promover a cultura nerd/geek, comemorada em 25 de maio. A data foi escolhida para comemorar a première do primeiro filme da série Star Wars, o Episódio IV: Uma Nova Esperança, em 25 de maio de 1977, mas divide o mesmo dia com dois outros "feriados" de fãs semelhantes: o Dia da Toalha, para os fãs da "trilogia de cinco" O Guia do Mochileiro das Galáxias, em homenagem ao seu escritor Douglas Adams e o Glorioso 25 de Maio para os fãs da série Discworld, em homenagem ao seu escritor Terry Pratchett. Esse ano a Editora Arqueiro está promovendo eventos por todo o Brasil! 

Quando?

Dia 21 de Maio (domingo), às 17h30

Onde? 

Pátio Eventos - Pátio Brasil

Link do evento: aqui.


Mapa:


Vamos?

Leia Mais ►

13/05/2017

RESENHA – Surpresa Irresistível (Christina Lauren)

ATENÇÃO!
A obra resenhada apresenta cenas eróticas. Leitura não recomendada para menores de 18 anos.

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: LAUREN, Christina. Surpresa Irresistível – série “Cretino Irresistível”. 1ª edição. São Paulo, Universo dos Livros, 2015. Tradução: Felipe CF Vieira. 336 p.
Gênero: Romance, Ficção erótica
Temas: Engenharia, estagiária
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura Americana
Ano de lançamento: 2015 no Brasil
Série: Cretino Irresistível (Livro 1), Cretina Irresistível (Livro 2), Estranho Irresistível (Livro 3), Paixão Irresistível (Livro 4), Playboy Irresistível (Livro 5), Noiva Irresistível (Livro 6), Sempre Irresistível (Livro 7), Surpresa Irresistível (Livro 8), Chefe Irresistível (Livro 9) e Irresistíveis (Livro 10)






“Sei que nem sempre podemos saber com antecedência como vamos reagir. Às vezes fazemos coisas no calor do momento e depois questionamos tudo. Desde que sejamos honestos um com o outro, acho que não existe uma maneira certa ou errada para isso ou aquilo.”
Surpresa Irresistível – Livro 8 (pág. 209)

Queridos leitores, não sei se vocês já viram nos meus textos por aí, mas o livro “Cretino Irresistível” é um dos meus favoritos no gênero ficção erótica, inclusive eu preciso resenhá-lo para vocês. Como as histórias são independentes vou iniciar com a resenha do oitavo livro da série.
Aqui vamos conhecer o Niall Stella, que é o irmão mais novo do Max Stella (personagem que tem sua história contada no livro “Estranho Irresistível”). O Niall é um excelente engenheiro, inclusive é Vice-Presidente e Diretor de Planejamento da Richardson-Corbett, umas das empresas mais bem-sucedidas de engenharia da Europa.
Já a Ruby Miller é estagiária dessa empresa. Desde o primeiro momento em que ela o viu foi amor à primeira vista. O único problema é que ele nunca a notou na empresa.
           O Niall e o Anthony, chefe da Ruby e uma das pessoas mais tosca que existe na face da terra, foram convidados para participar de uma conferência, durante um mês, em Nova Iorque. Porém, surgiu um imprevisto e o Anthony não pôde ir, então ele enviou a sua estagiária para participar.
          Nessa viagem os dois passaram a se relacionar. Porém, a Ruby não esperava que ele fosse tão retraído. Uma das justificativas dele para ser tão fechado foi a experiência ruim do seu casamento, que resultou em divórcio. Ele havia se casado com a Portia, sua primeira namorada, desde a época de adolescência, e sua única experiência sexual. O casamento deles foi muito sem graça, sendo um dos principais problemas a falta de conversa entre os dois.
 Por outro lado, a Ruby, que era filha de psicólogos, tinha como hábito sempre conversar sobre o que sentia. Desta forma, quando ela e o Niall passaram a namorar, ela teve muita dificuldade em quebrar essa barreira dele de não expor os sentimentos.
Confesso que se fosse comigo já teria mandado o Niall para as “cucuias”, que preguiça que me deu com as atitudes dele. Em vários momentos tive a sensação de que ele era um adolescente que tinha vergonha de dizer o que sentia, além disso, para tudo ele usava o seu relacionamento anterior como desculpa. A Ruby penou para que o relacionamento deles desse certo.
As autoras do livro, Christina Hobbs e Lauren Billings, escrevem sob o pseudônimo de Christina Lauren. A dupla de co-autoras escreve tanto New Adult e Yong Adult, e juntas escreveram treze romances best-seller do New York Times. Elas são publicadas em mais de 28 idiomas. Seu primeiro romance Cretino Irresistível começou como uma fanfic de Crepúsculo chamada The Office. No Brasil as autoras são publicadas pela Editora Universo dos Livros.
O livro possui 17 capítulos e é narrado de forma linear cronológica e em primeira pessoa, pelo ponto de vista da Ruby e do Niall. Apesar de não ter gostado muito do Niall, gostei muito do livro, principalmente da Ruby, que nos faz perceber a importância de conversamos sobre os sentimentos.
O próximo livro da série, “Chefe Irresistível”, aborda o relacionamento do Will e da Hanna, que teve a história contada no livro “Playboy Irresistível”. Este livro já foi lançado aqui no Brasil. Ainda mais, é importante destacar que o último livro que encerra esta série, “Irresistíveis”, tem previsão para ser lançado, pela editora Universo dos Livros, no dia 28/05. Inclusive, é bom destacar que esse dia é o mais lindo que existe, afinal, é meu aniversário. Então, já sei o que vou querer de presente <3


Bibliografia de CHRISTINA LAUREN (ordem cronológica):

Surpresa Irresistível

Livros: 
  • Cretino Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2013)
  • Cretina Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2013)
  • Estranho Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2013)
  • Playboy Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2013)
  • Paixão Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2014)
  • Noiva Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2014)
  • Sedutor – série Selvagem Irresistível – Universo dos Livros (2014)
  • Sempre Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2015)
  • Surpresa Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2015)
  • Indecente – série Selvagem Irresistível – Universo dos Livros (2015)
  • Misterioso – série Selvagem Irresistível – Universo dos Livros (2015)
  • Sublime – Universo dos Livros (2015)
  • Chefe Irresistível – série Cretino Irresistível – Universo dos Livros (2016)
  • Mentiroso – série Selvagem Irresistível – Universo dos Livros (2016)
Leia Mais ►

12/05/2017

O terror de Marcos deBrito está de volta


Olá, queridos leitores da Academia! Como estão? Hoje trago para vocês uma notícia que estava aguardando com muita ansiedade desde a Bienal de 2016! Tempão, né? Pois bem, nos bastidores do mundo literário fiquei sabendo que o autor Marcos deBrito estava envolvido em um novo projeto secreto e que uma certa editora o havia contratado. E agora, posso abrir o bico! Essa editora é a Faro e a nova obra do autor vocês podem conferir abaixo:


“Cada página é como um golpe cruel de chicote. E sai muito sangue!”

RAPHAEL MONTES — Autor de Dias Perfeitos e Jantar Secreto Secreto

Sinopse:

Durante a cruel época escravocrata do Brasil Colônia, histórias aterrorizantes baseadas em crenças africanas e portuguesas deram origem a algumas das lendas mais populares de nosso folclore.
Com o passar dos séculos, o horror de mitos assustadores foi sendo substituído por versões mais brandas. Em O Escravo de Capela, uma de nossas fábulas foi recriada desde a origem. Partindo de registros históricos para reconstruir sua mitologia de forma adulta, o autor criou uma narrativa tenebrosa de vingança com elementos mais reais e perversos.
Aqui, o capuz avermelhado, sua marca mais conhecida, é deixado de lado para que o rosto de um escravo-cadáver seja encoberto pelo sudário ensanguentado de sua morte.
Uma obra para reencontrar o medo perdido da lenda original e ver ressurgir um mito nacional de forma mais assustadora, em uma trama mórbida repleta de surpresas e reviravoltas.


Sobre o autor:

Cineasta premiado, Marcos deBrito vem sendo considerado a grande renovação na produção de filmes de suspense e terror no brasil. Começou a escrever histórias que lhe vinham à cabeça apenas para lidar com seus próprios medos, na esperança de esconjurar seus demônios e calar as vozes que não o deixavam em paz. O destaque de sua produção está na crueza como retrata as diferentes faces do mal, mas não é apenas isso. Todas as suas histórias contêm elementos de mistério e surpresas que desafiam o público a desvendar a mente dos personagens. Diretor, roteirista e escritor, o escravo de capela é seu terceiro livro publicado. Condado macabro, seu primeiro longa-metragem, foi lançado nas salas comerciais em 2015 e vem mostrando a força de sua narrativa em festivais por todo o país e no exterior.


Booktrailer:




Desnecessário dizer o quanto estou empolgado, né? O considero um dos melhores autores do terror atual. Sua obra À Sombra da Lua já apareceu em diversas listas aqui do blog sobre terror. Ficou curioso? Vem ver o que eu achei da obra na resenha (link). Também já falei sobre a outra obra do autor: Condado Macabro (link), que é uma adaptação do filme de mesmo nome. Para quem curte um bom terror gore, é uma boa dica. A editora disponibilizou os dois primeiros capítulos da obra e vocês podem conferir neste link.

O Escravo da Capela será lançado em junho. A editora já divulgou os eventos que ocorrerão no Rio de Janeiro e São Paulo. Para ter acesso, basta clicar nas imagens abaixo que você será redirecionado ao evento do Facebook.




Aos leitores das duas regiões: sortudos!
Até a próxima ;)

Leia Mais ►

09/05/2017

RESENHA - Tony & Susan (Austin Wright)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: WRIGHT, Austin; tradução de Rubens Figueiredo. Tony & Susan. 1ª edição. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2011. 336 páginas.
Gênero: Ficção. Romance.
Temas: Vingança. Relacionamentos.
Categoria: Literatura Estrangeira. Literatura norte-americana.
Ano de lançamento: 1993.
















“Bata na madeira, bata três vezes. A cautelosa Susan vive à beira do desastre porque tudo o que ela sabe já aconteceu, ao passo que o futuro é cego. Num livro, não existe futuro. Em seu lugar, há violência, que põe a emoção no lugar do medo, como a emoção que se sente numa montanha-russa. Nunca esqueça o que é possível, diz o livro, se com você, Susan felizarda, com um lar seguro e uma família segura (tão diferente do que se vê no mundo), vier a acontecer o mesmo que aconteceu com Tony e encontrar algum criminoso no meio da noite. Se você tivesse uma arma, saberia usá-la melhor do que Tony?”
*Tony & Susan (pág. 289).

Após 20 anos sem receber notícias do ex-marido, Susan recebe o manuscrito do romance escrito por ele. Sem muitas explicações, Edward pede que ela o leia, justificando que Susan sempre foi a melhor crítica. Ao conhecer a obra intitulada “Animais Noturnos”, Susan embarca em uma história de tragédia e vingança. Durante a leitura, ela revive o passado e lembra de emoções guardadas que não desejava rever.   
É isso mesmo: há um livro dentro de um outro livro. Austin Wright nos presenteia com essa bela visita aos sentimentos obscuros que revelam a linha tênue entre o amor e o ódio. O livro do ex-marido de Susan narra a triste trajetória de Tony Hastings, professor de uma universidade que conhece o pior pesadelo em certa noite numa estrada, a caminho do local onde passaria as férias com a esposa e a filha.
Em “Tony & Susan”, o leitor acompanha a leitura feita por Susan de “Animais Noturnos”. Entre os capítulos, é contada aos poucos a história conturbada de Susan, Edward e Arnold – segundo e atual marido da protagonista. Ao avançar nos caminhos perigosos de Tony – protagonista do livro de Edward – Susan revê os próprios sentimentos.
 “Tony e Susan” é uma obra instigante e apavorante, que desperta angústia e medo em Susan e no leitor desacostumado com histórias assim. Wright acerta na trama que se desenrola a partir da leitura de uma outra obra: é interessante compartilhar emoções com Susan e até mesmo discordar das interpretações – muito humanas – da protagonista.
“Animais Noturnos”, portanto, é um livro para leitores de estômagos fortes. Apesar da história de Susan e Edward ser comum, a de Tony é regada de violência e anarquia. Um dos pontos fortes de “Tony & Susan” é a tentativa de Susan de descobrir em quem o ex-marido se tornou e se, de alguma forma, a construção do personagem Tony e a trajetória dele têm algo a ver com ela ou com o que ela causou a Edward no passado.
"De novo Susan descobre em sua mente a varanda cercada por uma tela, a varanda da casa no Maine, a trilha e a escadinha de pedra perto do abrigo onde ficava a canoa, o pequeno cais com um resplendor de espelho à tarde, visto entre árvores. Morrendo, como sua mãe e seu pai. Como Bobby Andes. Como seu ciúme. Como a escrita de Edward. Como este livro". *Tony & Susan, p. 304
Mesmo sem Edward, em si, aparecer no enredo, é possível conhecer a personalidade do ex-marido de Susan a partir das lembranças dela. Se o autor de “Animais Noturnos” tivesse aparecido durante a leitura, talvez a obra perdesse essa impessoalidade que possui, afetando assim a crítica da protagonista e do próprio leitor.
A história em “Tony & Susan” é contada em terceira pessoa, por um narrador onisciente. A trama é pouco fluida: é preciso esforço para relacionar e, ao mesmo tempo, separar as histórias dentro da obra. A relação temporal do livro é truncada, já que a narrativa se passa no presente, mas visita o passado para revelar traços dos relacionamentos de Susan.
Esse livro de Austin Wright tem uma divisão incomum. Ele é dividido em “antes” e “depois”, três sessões de leituras e dois interlúdios. Os capítulos estão colocados dentro dessas divisões.
Austin Wright nasceu no estado de New York, em 1922. Apesar de ter se formado em geologia, ele foi mestre e Ph.D em literatura pela Universidade de Chicago. Se aposentou em 1993, após lecionar literatura por 23 anos na Universidade de Cincinnati. Além de “Tony & Susan”, ele escreveu outros seis romances e outras obras de não ficção. Wright morreu em 2003, com 80 anos.
Certamente, “Tony & Susan” é uma obra que agradará vários públicos, principalmente os amantes de romances urbanos ou naturalistas. A obra, sobretudo, reflete sobre as dificuldades e angústias de escritores. Para os leitores que gostam de um desafio, essa obra deve preencher o tempo livre de uma forma agradável. 

Além de conferir a obra original, o leitor pode conhecer a adaptação para o cinema: intitulado "Animais Noturnos", o filme foi lançado em 2016 e tem como protagonistas Amy Adams e Jake Gyllenhaal, como Susan e Tony, respectivamente. 



Bibliografia de AUSTIN WRIGHT (ordem cronológica):

Livros:

  • Tony & Susan – Intrínseca (2011).

Leia Mais ►