Tecnologia do Blogger.

27/08/16

RESENHA - O ar que ele respira (Brittainy C. Cherry)

Brittainy C. Cherry
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: CHERRY, Brittainy C. O ar que ele respira. 1ª edição. Rio de Janeiro, Record, 2016. Tradução: Meire Dias. 308 páginas.
Gênero: Romance, Drama
Temas: Vizinhos, acidente de carro, família
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura Americana
Ano de lançamento: 2015 nos Estados Unidos da América e 2016 no Brasil
Série: O ar que ele respira (Livro 1)

“Nenhuma alma gêmea deixa esse mundo sozinha. Ela sempre leva consigo um pedaço de sua outra metade.”
O ar que ele respira – Livro 1 (posição 155 – 3% – de 4.426 - E-book via Amazon)






Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.
Queridos leitores, a Elizabeth (Liz) ficou arrasada com a morte do seu marido, e a única forma que ela encontrou para seguir com a sua vida foi se dedicar, ainda mais, a sua filha de 5 anos, Emma. Após o acidente, a Liz decidiu passar um tempo com a mãe dela, Hannah. Só que a mãe dela, que também havia perdido o marido quando a Liz ainda era criança, se tornou uma vadia (palavras da Liz, não minha), e isso foi bem ruim para ela, pois a mãe sempre aparecia com um namorado diferente. Depois de a mãe apresentar o mais “novo” namorado, a Liz decidiu que era hora de retornar para sua casa e tentar reconstruir a sua vida. Porém, ela não contava que se depararia com um novo vizinho.
O Tristan, no início, foi muito grosseiro com ela. Na realidade não só com ela, mas com toda a vizinhança. Para falar a verdade, várias vezes me deu vontade de mandá-lo ir “catar coquinho”, por conta das grosseiras e chatices dele. Mas, acho que a Liz foi uma santa por, mesmo com tanta falta de educação, tentar se aproximar dele, mesmo que todos na cidade a aconselhassem a não se aproximar dele.
Os dois estavam em luto, só que cada um lidava com isso de uma forma diferente. O Tristan havia perdido a esposa e um filho. Isso o deixou devastado, tanto que não conseguia nem se relacionar mais com as pessoas, inclusive com os próprios pais. Com a chegada da Liz, ele teve que sair da sua “bolha” de solidão para começar a interagir com uma vizinha intrometida e sua filha.
O que achei legal no livro foi como o relacionamento deles se iniciou, e como, no decorrer da história, eles entraram em conflito com o sentimento que surgiu entre eles.
Uma das minhas personagens favoritas do livro foi a Emma.  Foi uma das crianças mais fofas que eu já conheci na literatura. A melhor amiga da Liz, Faye, também é uma figura com a sua forma de pensar. A autora desenvolveu bem os personagens secundários.
Gostei muito da leitura, mas confesso que esperava um pouco mais. Talvez porque eu tenha gostado muito do outro livro da autora, Sr. Daniels. Além disso, fiquei com algumas perguntas na minha cabeça sobre alguns pontos do acidente que envolveu o marido da Liz. Mas, não posso comentá-las aqui para não soltar nenhum spoiler. Contudo, recomendo a leitura, porque ela vai mexer com os seus sentimentos. Tanto é que me peguei lendo de madrugada, sem conseguir parar.
A autora do livro, Brittainy C. Cherry, é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin. Para saber mais sobre a autora, clique aqui.
Por fim, ressalto que o livro é narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista da Liz e do Tristan. Sendo que a narrativa é intercalada entre o passado, o que aconteceu no acidente que envolveu as famílias deles, e o presente. Possui 45 capítulos, além do prólogo e do epílogo.  Além disso, ele é o primeiro volume da série “Elementos”, composta por quatro livros, cada um envolvendo um elemento da natureza (ar, fogo, terra e água), sendo que com histórias e casais diferentes. O segundo livro será o elemento do “Fogo”, protagonizado pelo casal Logan e Alyssa, já lançado no exterior.
Bibliografia de BRITTAINY C. CHERRY (ordem cronológica):

O ar que ele respira
Copyright © Brittainy C. Cherry Books
Livros:

     Sr. Daniels – Record (2015)
     O Ar que ele respira – série Elementos – Record (2016)
     The Fire Between High & Lo - série Elementos – Não há previsão de lançamento no Brasil
     The Silent Waters - série Elementos – Não há previsão de lançamento no Brasil
     The Space in Between – Não há previsão de lançamento no Brasil
     Art & Soul – Não há previsão de lançamento no Brasil
     Our Totally, Ridiculous, Made-up Christmas Relationship – Não há previsão de lançamento no Brasil
Leia Mais ►

25/08/16

10 Dicas de sobrevivência para a Bienal do Livro de São Paulo




Olá, queridos leitores! Sim! Eu vou para a Bienal do Livro de SP. Pensem na alegria estampada na minha cara enquanto escrevo este post! Vai ser minha primeira vez na edição de São Paulo e estou muito empolgado! Fui em três edições da Bienal do Rio e agora vou carimbar minha presença nesse evento que eu só ouvia falar e agora irei participar! Bom, o evento começa amanhã, mas eu irei no próximo final de semana. Anotem ai: dias 02, 03 e 04 estarei lá esperando vocês! Vamos conversar e tirar muitas fotos \0/. Então, sempre que o evento se aproxima eu faço uma check-list de coisas que eu preciso fazer para aproveitar da melhor forma o evento e quero dividir algumas dicas aqui com vocês. Vamos lá?

Obs: Clique nos itens para abrir o texto.

1- Ingressos Online

Nas Bienais temos fila para tudo: para entrar, para pagar, para pegar autografo, para ir ao banheiro, para encher garrafinha, para pegar ônibus/taxi... ufa. Esqueci algum? Provavelmente. Ganhe um pouco de tempo comprando seu ingresso online (link). Uma fila a menos, não acha?

2- Conforto em primeiro lugar

A Bienal é tipo uma maratona. São horas e horas e horas de coisas para fazer, lugares para ir, filas para encarar, multidão te acotovelando nos pavilhões onde estão os principais stands e quase nenhum lugar pra sentar. Então, monte o look mais glamuroso e estiloso que você conseguir com as roupas e sapatos mais confortáveis que você tiver no guarda-roupas! Você não querer que seu pique e sua disposição sejam prejudicados por uma roupa ou um sapato maravilhoso, mas nada prático certo? Conforto em primeiro lugar!

3- Planejamento é importante

Quais dias você está pensando em ir? Quais autores deseja ver? Quais as palestras deseja ouvir? Quais autógrafos deseja pegar? O que quer comprar? É muito importante se programar, pois a bienal é um evento de “mini eventos”. É importante fazer um roteiro do que quer fazer e uma lista do que quer comprar. Ninguém quer perder a sessão de autógrafos de seu autor favorito porque perdeu a hora, não é verdade? Faça uma lista das atrações que deseja conferir. Faça sua lista por dia, anote os horários certinhos e o local. Baixem o app exclusivo do evento. É uma mão na roda para se localizar.


4- Levem Temers dinheiro!

Sim, dinheiro. As filas para pagar com cartão de crédito costumam ser muito maiores do que as filas de quem vai pagar com dinheiro (ao menos no Rio é assim). E nem queira saber o tamanho da fila do caixa eletrônico! Só não se esqueça de guardar sua grana num local adequado. É a coisa mais fácil do mundo enviar a mão no bolso pra pegar o celular e, ao puxar, deixar cair o dinheiro que estava no mesmo bolso e nem perceber. Também não é bom dar bobeira porque, assim como em qualquer outro lugar onde haja uma aglomeração grande de pessoas, você corre o risco de algum malando meter a mão e levar sua carteira sem você nem notar.



5- A mochila/mala de rodinhas é seu companheiro inseparável

Essa é uma dica de ouro para todos! E mais ainda para quem é um leitor compulsivo por compras! Mochilas são ótimas companheiras, já me ajudaram em muitos eventos do tipo, mas depois do quinto livro e de várias horas andando, suas costas começam a pedir arrego. O esquema é o seguinte: você leva sua mochila ou bolsa para os itens essenciais e que deverão ficar o tempo todo com você; e leva também uma mala de rodinhas, dessas de viagem mesmo para guardar os livros que você vai comprar (o tamanho varia conforme a quantidade de livros). Então, quando você tiver comprado tudo, você leva essa mala e deixa no guarda-volumes (acredito que oferecem isso em SP também). Aí você passa o resto do dia aproveitando as atrações.

Preciso de uma dessas

6- Lanche e garrafa d'água

Aventureiros de primeira viagem, não se iludam: petiscos são mais que necessário! Você pode até argumentar que haverá uma praça de alimentação por lá. Mas sabe aquela história das filas gigantescas do item 1? Pois é. Isso sem falar nos preços! Se você já frequentou qualquer show, balada ou evento em que uma vez dentro não se pode sair e voltar depois, você deve ter uma noção do que são os preços dos alimentos por lá. Portanto, leve um lanchinho, até porque, se você vai passar o dia todo na Bienal – que começa pela manhã e termina a noite – você não vai se aguentar só com o almoço. Outra coisa importantíssima: leve uma garrafinha de água e vá reabastecendo nos bebedouros. E sim, haverá filas enormes neles também. Você não quer passar sede, não é mesmo? Seu corpo agradece!

7- Power bank, o melhor companheiro do seu celular

Fotos, vídeos, compartilhamentos, bate papo, mais fotos... o seu celular, por mais parrudo que seja não aguenta um dia inteiro de uso constante registrando todas as coisas na bienal (são muitas coisas!). É bom ter um Power Bank a disposição. Já pensou se na Bienal tem uns Pokéstop? Então é bom levar dois Power Bank! xD

Alguns modelos de carregadores portáteis

8- Ônibus gratuito

Eu achei legal isso (nunca vi no Rio). Existem ônibus gratuitos que te levam para o evento. Pelo que vi por ai, eles vão da estação Tietê do Metrô (Linha 1 Azul – Norte-Sul) durante todos os dias da semana e ida e volta a partir do Terminal Rodoviário e estação da Barra Funda (Linha 3 Vermelha – Leste-Oeste) apenas nos finais de semana. E claro, tem filas, mas né, gratuito. Muito melhor do que perder tempo no engarrafamento ou pagar Táxi ou Uber para ir lá. Isso pode ser a diferença de você ter ou não um livro (ou mais de um) a mais na sua estante.

9- O dia das compras

Outra dica de ouro para quem pretende aproveitar a Bienal para abarrotar as estantes: separe um dia para fazer comprar e foque nisso. Escolha um dia mais calmo, que não tenha muitas atrações ou sessões de autógrafos de autores muito badalados (preferencialmente um dia em que não haja muitas atrações que VOCÊ queira ver). Se puder, faça seu “Dia de Compras” no meio da semana porque os sábado e domingo são os dias com maior público e todos os stands ficam LOTADOS. Nesse dia, aproveite a calmaria e ande por todos os stands, veja os títulos que te interessam, veja as promoções e compre tudo o que tinha planejado comprar (lembre-se do planejamento!. Assim você poderá aproveitar os outros dias pra conferir toda a programação que a Bienal oferece.

Quem se identifica com a imagem?

10- Divirta-se!

A Bienal é um evento muito divertido onde você vai poder encontrar amigos, outros leitores, autores, editoras, marcadores, livros... É uma experiência única que vale a pena cada segundo! Então divirta-se e saia de lá realizado! 


É isso, leitores. Estou muito animado aqui! Espero que quem for aproveite muito esses primeiros dias e postem muitas fotos para eu ver! Se tiverem alguma dica bacana para compartilhar, comente! Vai que sua dica me ajude a aproveitar melhor a bienal ;)


Leia Mais ►

24/08/16

Vivianne Fair e o Legado do Dragão


Leitores da Academia! Não passou nem uma hora que me recuperei de um mini infarto. Ainda bem que não foi preciso chamar o SAMU... Ah, vocês devem estar se perguntando porque eu quase tive um ataque cardíaco, não é? Tudo culpa da Vivianne Fair. Hoje ela revelou a capa do terceiro livro (sim, TERCEIRO) que será lançado na Bienal do Livro SP e meu jesus, que capa destruidora! Quero apresentar a vocês, queridos leitores, a capa e a sinopse do livro "O Legado do Dragão", nova obra da autora Vivianne Fair!

Que capa mítica! *-*/ Créditos:  Marina Avila

Sinopse:

"Os dragões eram a lenda. Temidos, admirados.
Viviam entre as pessoas disfarçados de seres humanos. 
Espreitando.
Espionando.
Parecendo buscar a paz, mas sempre tendo em vista o domínio. 
Sua última cartada.
Rei Gallad, o mais famoso herói dos confins do planeta, pôs fim à empreitada dos dragões com os exércitos de todos os confins do mundo e iniciou seu reinado com paz e tranquilidade. Muitos anos se passaram até que as narrativas viraram cantigas e as lendas apenas histórias assustadoras para crianças. 
Ninguém viu quando ele surgiu. Ninguém entendeu. Não houve voz.
O dragão devastou a cidade e assustou o planeta. Como ele ressurgiu? Seria o último da raça?
Missandra, filha do rei Gallad e rebelde de carteirinha nas horas vagas, decidiu ir em busca de respostas. Tendo como companheiro de viagem um rapaz que falava com gaviões, um guarda-costas que não tinha hábito de sorrir e encontrando amigos (ou nem tanto) pelo caminho, como uma elfa estressada e um homem que não sabia de que raça seria e com a ajuda de harpias, fadas, sereias e mulheres-serpentes, ela descobre que podem ter dois lados em uma mesma história. Talvez um terceiro.
Mas tudo seria bem mais fácil se seu guarda-costas não estivesse tentando te matar."


Sobre a autora:

Vivianne Fair (conhecida também por chefa) é autora da trilogia a Caçadora publicada pela editora Draco, a nova trilogia em lançamento O caçado e Quem precisa de heróis. Também possui ebooks como Steph, a super-hiperativa e Poderes Encrenqueiros. Trabalha também com ilustrações, inclusive internacionais e ilustrou todas as capas dos seus livros, incluindo outras capas para outros autores. É professora de desenho e inglês, sendo formada em arts plásticas. É carioca, mas mora atualmente em Brasília com seu filho, um crítico ferrenho de suas obras, mas que ela ama com toda certeza..



É isso ai, leitores! Quem ai ta louco pelo livro? Não se esqueçam que a autora também vai lançar "A Caçadora 3 - Temporada de Caça" com capa nova e "A Rainha Sombria", ambas pela editora Draco. O lançamento de "O Legado do Dragão" será sábado às 16h, no estande 059 da editora D'Carlos, com direito a cavaleiro de armadura (já vou preparar meus memes xD) e brindes para quem comprar o livro!


Querem saber mais sobre a autora? Só clicar aqui que você vai encontrar muitos outros posts sobre ela ;)

Leia Mais ►

23/08/16

RESENHA – A Maldição do Vencedor (Marie Rutkoski)

Marie Rutkoski
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: RUTKOSKI, Marie. A Maldição do Vencedor. 1ª edição. São Paulo, Plataforma 21 (selo da editora V&R Editoras), 2016. Tradução Guilherme Miranda. 328 páginas.
Gênero: Romance, fantasia, ficção
Temas: guerra, escravos,
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura Americana
Ano de lançamento: 2014 no Brasil
Série: A Maldição do Vencedor (Livro 1)







“Claro que ele tinha certeza de que algo estava errado. Impossível. Era impossível amar uma valoriana e também amar seu povo. A falha era dele.”
A Maldição do Vencedor – Livro 1. (posição3.567 – 66% – de 5.553 – página de Agradecimentos - E-book via Amazon)

Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai - o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos -, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida. As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas.
Queridos leitores, neste livro a autora nos apresenta uma história baseada em pós-guerra, em que o povo valoriano havia vencido a batalha contra o povo herrani. Antes da guerra o povo de herrani era a classe dominante e os valorianos eram considerados por eles como selvagens sanguinários. Porém, após a guerra, os valorianos conseguiram dominar os herranis, e eles se renderam, pois preferiram se tornar escravos a morrerem.
Com base nisso, conhecemos a nossa mocinha, Kestrel, que não tem a mínima habilidade para a guerra, apesar de ser um costume do povo valoriano dar às mulheres duas escolhas: se alistarem para o exército ou se casarem Como o pai dela é o principal general do império, inclusive um dos responsáveis pela vitória do povo deles, o seu maior desejo era que a filha entrasse para o exército. Porém, o que a Kestrel mais gosta de fazer é tocar piano. E isso é um problema, pois esse tipo de atividade era realizada apenas pelos escravos – povo herrani.
Em um passeio com sua melhor amiga, Jess, elas foram parar em um leilão de escravos. Após alguns lances – talvez pelo motivo do leiloeiro dizer que aquele escravo cantava e exercia um bom papel de ferreiro, coisa de que o pai sempre precisa –  ela, impulsivamente, deu um dos maiores lances por ele. O único problema é que ela não sabia que se apaixonaria pelo seu maior inimigo.
A Kestrel e o Arin são dois dos personagens mais inteligentes e estrategistas que eu já conheci. Antes, quando ele era ainda criança, tinha uma boa vida, os pais eram de uma classe alta na sociedade deles. Só que com a guerra, além de se tornar um escravo, ele perdeu os pais e sua irmã. Ele é aquele personagem apaixonante.
            O que Kestrel não sabe é que sua aquisição faz parte do plano de Arin. Um dos objetivos dele era ter acesso às informações mais importantes para uma nova guerra. Por isso, a Kestrel foi induzida a comprá-lo. Sendo assim, como ele ajudou o seu povo a tentar reconquistar as terras, ele se tornou um dos principais líderes da nova revolução.
          Os dois, mesmo apaixonados, estavam em lados opostos. Afinal, como poderiam amar o inimigo e tentar salvar o seu próprio povo? Difícil, não é mesmo? Pessoalmente, não saberia como lidar com essa situação. E é por isso que eu amei o livro e os personagens. Então, caro leitor, recomendo este livro para você que gosta de fantasia, romance e ficção histórica.
O livro tem muitos conflitos políticos. Um dos personagens secundários que mais gostei foi o general. Mesmo com as excentricidades da filha, ele a apoiava e tentava entender as suas decisões, mesmo sem concordar com elas.
A autora do livro, Marie Rutkoski, cresceu em Bolingbrook, Illinois (um subúrbio de Chicago), sendo a mais velha de quatro filhos. Possui bacharelado pela University of Iowa e doutorado pela Harvard University. Atualmente vive em Nova York, é professora no Brooklyn College e mora com o marido e dois filhos.
Felizmente, o segundo livro dessa trilogia, O Crime do Vencedor, tem previsão para ser lançado ainda em setembro deste ano. E o terceiro e último livro, O Beijo do Vencedor (tradução literal), já foi publicado no exterior. Então, agora é só aguardar, ansiosamente, chegar setembro.
O livro possui 42 capítulos, e é narrado de forma linear cronológica e em terceira pessoa, pelo ponto de vista da Kestrel e do Arin. O que é bom, pois conseguimos perceber as motivações dos dois ao longo da história.
Por fim, é importante destacar que no site da editora está disponível um trecho do livro (para visualizar, clique aqui), bem como o booktrailer, que recomendo (clique aqui).


A Maldição do Vencedor
Fonte: Skoob
Bibliografia de Alwyn Hamilton (ordem cronológica):

Livros:

     A Maldição do Vencedor – Plataforma 21 (2016)
     The Winner’s Crime – previsto para ser publicado em setembro de 2016
     The Winner's Kiss – sem previsão para ser lançado no Brasil
     Bridge of Snow – sem previsão para ser lançado no Brasil
     The Shadow Society – sem previsão para ser lançado no Brasil
     The Cabinet of Wonders – sem previsão para ser lançado no Brasil
     The Celestial Globe – sem previsão para ser lançado no Brasil
     The Jewel of the Kalderash – sem previsão para ser lançado no Brasil

Leia Mais ►

Horóscopo dos livros: Virgem

Olá, amigos leitores,

Dando continuidade ao nosso post dos personagens literários ligados aos signos dos zodíacos, este mês vamos falar do signo de virgem. Sendo assim, de hoje até o dia 22 de setembro o sol estará nesta casa.

Temos algum (a) virginiano (a) por aqui? Vamos então para a previsão do signo?

Caso queira ler o que os astros disseram para os signos de gêmeos, câncer e leão, basta clicar nos respectivos signos. ;) 






Virgem (23 de agosto - 22 de setembro) - Signo da Terra / Elemento: Terra

De acordo com o site Tão Feminino, descrevemos abaixo o perfil do (a) leonino (a):

Dá gosto de ver como as pessoas de Virgem são dedicadas à vida. Regidos pelo planeta Mercúrio, que representa a sabedoria, têm um forte controle sobre o racional e o emocional, sabem muito bem em quem confiar e têm uma ótima memória para se lembrar de quem já lhes estendeu a mão. Mesmo com este lado maduro, as virginianas têm alguns momentos de desatino e são cheias de manias esquisitas. Ainda que busquem paz, iluminação e serenidade, as nativas do signo de Virgem adoram flertar com a escuridão e com o que lhes parece misterioso.

Principais características da pessoa deste signo: metódica, sistemática, perfeccionista, modesta, detalhista, responsável, organizada, observadora, exigente...

 

Personagem feminina: June do livro “Legend”, da autora Marie Lu. 

Sinopse do livro: A Verdade Se Tornará Lenda - Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos. 

Breve avaliação: A June é uma mocinha forte, obediente, perfeccionista e detalhista. Por isso, se tornou um prodígio no meio militar.


Personagem masculino: Christian Grey do livro “Cinquenta Tons de Cinza”, da autora E. L. James. 

Sinopse do livro: Quando Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos. Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.

Breve avaliação: O  Christian Grey é um cara extremamente controlador. Ele é organizado, exigente e metódico com as suas coisas.

É isso aí queridos leitores, nos encontraremos, em breve, com os (as) librianos. ;)

Astróloga literária (rsrsrs) Gabi Crivellente


Leia Mais ►

22/08/16

EVENTO: Lançamento da obra "As Letras do Amor"

Olá, queridos leitores! Hoje é dia de divulgação de evento!


O que é?

"Reafirmando seu compromisso de valorizar e revelar talentos da literatura nacional, o selo Novas Páginas lança, em agosto, "As Letras do Amor", da brasiliense Paula Ottoni. A obra é a primeira que a autora lança por uma grande editora, após chamar a atenção do público jovem com seu trabalho independente."

Quando?

Dia 26 de agosto (Sexta), às 19:30

Onde? 

Livraria Fnac - Park Shopping

Link do evento: aqui.

Mapa:




A Academia recebeu o convite para apoiar e mediar o evento! Estaremos lá com a autora batendo um papo descontraído com o público. Esperamos vocês no evento ;)


Leia Mais ►

20/08/16

RESENHA – Coração Perverso (Leisa Rayven)

Leisa Rayven
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: RAYVEN, Leisa. Coração Perverso. 1ª edição. São Paulo, Globo Alt (selo da editora Globo), 2016. 360 páginas. Tradução: Fal Azevedo
Gênero: Ficção, Romance, New Adult
Temas: atores, teatro, hollywood
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura Australiana
Ano de lançamento: 2016 nos Estados Unidos da América e 2016 no Brasil
Série: Meu Romeu (Livro 1), Minha Julieta (Livro 2) e Coração Perverso (Livro 3)




“Amor é como um leão em cativeiro: pode-se abraçá-lo, mas ele jamais será domado.”.
Coração Perverso – Livro 3 (posição 2.373 de 5.590 - E-book via Amazon)

Elissa Holt tem uma regra quando se trata de relacionamentos: ela não namora atores. Sua bem-sucedida carreira de diretora de palco em Nova York ensinou-lhe que eles não são confiáveis, e isso se comprova quando ela conhece Liam Quinn.
Eles tiveram um breve, porém intenso romance há seis anos, pouco tempo antes de Liam se mudar para Hollywood, fazer sucesso em grandes produções de cinema e partir o coração de Elissa ao começar a namorar Angel Bell, a atriz queridinha da América.
Agora o casal do momento está em Nova York para estrelar a peça “A Megera Domada”, de Shakespeare, da qual Elissa será, coincidentemente, a diretora de palco. Apesar de o cenário ser completamente diferente, tudo o que aconteceu entre eles – e o que poderia ter acontecido – vem à tona.
Mesmo Elissa sabendo que se entregar a Liam de novo poderia gerar uma tragédia, fica claro que o amor e o desejo nem sempre seguem o script.
Amigos leitores, este é o terceiro e último livro da série “Starcrossed”. Os dois primeiros livros contam a história da Cassie Taylor e do Ethan Holt. No terceiro, vamos conhecer a história da irmã mais nova do Ethan, Elissa.
Se você não leu os dois primeiros, recomendo a leitura, pois são ótimos. Mas, se por um acaso você desejou pulá-los e ir direto para o terceiro, não tem problema, já que no “Coração Perverso” a história é independente da outra, apesar de que nos livros anteriores é possível conhecer um pouco da Elissa.
Uma das regras da Elissa era não se apaixonar por atores, tendo em vista que os seus últimos namorados, atores, a abandonaram para ficar com as atrizes que contracenavam com eles no palco. Só que o que ela não esperava era se apaixonar justamente por outro ator.
Ela conheceu o Liam Quinn em uma noite quando estava conversando com o seu melhor amigo, Joshua (Josh) Kane. Sabe aquele momento em que duas almas gêmeas se encontram e você sabe que será para a vida inteira? É isso o que acontece.
Eles dois têm uma química muito forte. E o Liam a convida para ver as estrelas do terraço do prédio em que ele mora. Ela vai, mas diz que se ele for ator, não acontecerá nada, por conta da regra dela. Ele diz que trabalha no ramo de construção junto com seu pai. Então ela fica feliz e eles se despedem com um beijo. Eles não trocaram contato, para conversarem novamente.
No dia seguinte, a única coisa que ela não esperava era reencontrá-lo em um teste para ser o ator principal de uma peça de teatro, em que ela trabalhava como assistente de palco. Obviamente, ela ficou furiosa.
Ao longo dos ensaios os dois se aproximam mais ainda, e não tem como negar a paixão dos dois. Mesmo sabendo que não deveria se apaixonar por ator, e ele afirmando que jamais a abandonaria por uma atriz, eles ficam juntos durante a temporada da peça. Porém, quando terminou, ele teve que se mudar para outra cidade e ela entrou para a faculdade.
Os anos se passaram, mas eles mantiveram contato por meio de mensagens. Até que um belo dia eles se reencontram. Então ela aproveita para dizer para ele o quanto o ama. Só que ela descobre, por meio de um paparazzo, que ele está namorando a atriz principal, Angel Bell, do filme que ele vai estrelar. Isso a deixou arrasada.
Seis anos depois, ela se tornou uma das melhores diretoras de palco da Broadway, junto com o Josh, que virou seu assistente de palco, eles se tornaram uma dupla imbatível. O Josh é um dos personagens secundários mais legais que eu já conheci, se toda garota pudesse ter um melhor amigo como ele, seria perfeito. Já o Liam, por sua vez, se tornou uma estrela de hollywood, por conta do filme que ele fez com a Angel, sua atual noiva.
Infelizmente para a Elissa, ela ainda continuava apaixonada por ele, mesmo com toda a decepção que passou. Só que o que ela não poderia esperar do destino era ter que trabalhar junto não só com ele, mas também com a noiva dele em uma peça que ela dirigiria. Agora pensem como a Elissa sofreu ao reencontrar o amor da sua vida.
Leitores, este livro foi muito bom de ler. Não vou mentir, também fiquei apaixonada pelo Liam. Acho que não tem como não se apaixonar por ele.  O pior foi que também gostei da noiva dele. Na realidade gostei de todos os personagens. Fazer o quê? A Leisa Rayven conseguiu construir personagens maravilhosos. ;)
Quando Leisa Raven começou a escola de teatro escreveu suas primeiras peças. Leisa se dedicou à dramaturgia e teve várias peças de sua autoria produzidas na Austrália. O romance tomou o lugar do teatro quando Leisa começou a escrever fan fiction e conquistar leitores na internet. O sucesso online a inspirou a escrever seu primeiro romance, Meu Romeu e sua continuação Minha Julieta. Leisa vive atualmente na Austrália com o marido, dois filhos, três gatos e um canguru chamado Howard.
Série Starcrossed
Capa australiana
O livro possui 23 capítulos, e foi escrito alternando o passado e o presente, em primeira pessoa, por meio do ponto de vista da Elissa. O epílogo traz um trechinho do que aconteceu com a Cassie e o Ethan, só que não vou contar aqui, para não estragar a surpresa caso vocês não tenham lido os primeiros livros.
Gostei de tudo do livro, inclusive da capa que ficou linda, apesar de que a lançada na Austrália também é bonita. Fiquei até com gostinho de quero mais.




Bibliografia da LEISA RAVEN (ordem cronológica):
Coração Perverso
Fonte: Globo livros

Livros:
     Meu Romeu – Globo Alt (2015)
     Minha Julieta – Globo Alt (2015)
     Coração Perverso – Globo Alt (2016)
Leia Mais ►