Tecnologia do Blogger.

20/03/2017

Entrevistamos Nikelen Witter, autora de Territórios Invisíveis

Olá, queridos leitores da Academia! Como estão? Vocês se lembram que no final do mês passado divulgamos com exclusividade a capa da obra Guanabara Real - Alcova da Morte? E se lembram que entrevistamos o editor Artur Vecchi da Avec Editora, o cara por trás da obra? Bom, se não lembram ou não viram, sugiro que cliquem nos links e deem uma lidinha antes de continuar a ver esse post. A Academia não só entrevistou o editor como também foi conversar com os autores da obra. Hoje vamos mostrar a vocês a conversa que tivemos com a Nikelen Witter, a presença feminina no trio de escritores. E logo em seguida teremos a divulgação da entrevista com o Andre Zanki Cordenonsi e Enéias Tavares. Vamos conferir?

Maria Tereza Floresta é a personagem criada por Nikelen


Academia Literária
Fale-nos um pouco sobre você. Quem é Nikelen Witter? 

Nikelen Witter
É um tipo de pergunta difícil de responder. Posso dizer que sou uma leitora apaixonada e alguém que escreve por uma necessidade fundamental. Desde 2011, publico contos fantásticos e sou autora do romance juvenil Territórios Invisíveis, cuja segunda edição em e.book saiu pela Avec Editora esse ano, após ter esgotado a primeira edição na sua editora original, a Estronho. Atualmente, sou agenciada pela Increasy Consultoria Literária, com a qual trabalhei meu último livro - que também possui uma estética Steampunk e que será publicado após Guanabara Real; e com a qual já estou na parte de pesquisa para o próximo livro, que será uma ficção científica. Já tive épocas mais tranquilas, hoje, porém, estou envolvida em muitos projetos tanto na escrita, quanto no âmbito da universidade e do ativismo. Mas é um envolvimento que me faz feliz e, claro, que exige que eu equilibre muitas pontas da vida, como estar com meu filho, meu marido e minha família. Então, talvez, a busca desse equilíbrio entre tudo o que quero fazer, tudo o que consigo fazer e tudo o que acho que posso fazer seja minha definição e ambição nesse momento. 

Academia Literária
Qual foi a sua contribuição no livro Guanabara Real - A Alcova da Morte?

Nikelen Witter
Os meninos - o Enéias e o André - me apresentaram a ideia inicial pensada pelo Artur e a partir daí começamos a trabalhar juntos. Definimos as características iniciais dos personagens e os pontos gerais da história, Principalmente, definimos a estrutura por onde seguiríamos, o que cada um escreveria e qual personagem iria desenvolver. Como fiquei com o primeiro capítulo, acabei um pouco que estabelecendo o tom da narrativa em cima das ideias que tínhamos de algo leve e que envolvesse rapidamente o leitor.


Academia Literária
Pode nos contar um pouco sobre a personagem Maria Tereza? Soube que ela é uma investigadora Criminal e fundadora da Agência de Detetives Guanabara Real. Qual é, em sua opinião, a importância dentro e fora da obra de ter uma mulher no comando? 

Nikelen Witter
Maria Tereza Floresta é uma personagem muito pragmática e independente. A agência de detetives que ela criou é a sua vida. Ela é viúva e tem um passado complicado, mas nada disso a marca tanto quanto a existência da Guanabara Real. Pense em uma pessoa com seu maior sonho realizado. É isso e Maria Tereza vive o sonho em sua plenitude. Um crime em sua infância e os erros na forma como foi investigado a fizeram desejar ter essa carreira. Mas a vida não foi tranquila e ela teve de se refazer muitas vezes até alcançar seu plano de vida. Quanto a questão do comando, creio que o exercício político de funções de autoridade pelas mulheres é extremamente salutar para o mundo em que vivemos e para que se possa finalmente se conquistar a igualdade pela qual as mulheres lutam há tanto tempo. E acho que no nosso mundo, assim como no caso da Guanabara, o comando da Maria Tereza, de uma mulher, não embaça o protagonismo de ninguém, pelo contrário, acho que a principal habilidade dela como chefe é extrair o melhor dos seus associados. Porém, como eu disse no início, ela é uma pessoa muito pragmática, diria obsessiva em resolver os crimes que chegam à agência. Ela não vai se perder em amargores, memórias ruins ou mesmo em relações pessoais. Não se trata de frieza, mas de uma determinação difícil de ser abalada.

Cartão de visitas de Maria Tereza

Academia Literária
O que os leitores podem esperar da obra?

Nikelen Witter
Acho que Guanabara Real entrega o que promete: uma leitura divertida, instigante, capaz de deixar um gosto de quero mais. Tanto o cenário de um Rio de Janeiro reconstruído - e nisso tivemos muita ajuda do Artur, que nasceu lá, e eu pude contribuir um pouco, pois morei lá um ano - quanto suas personagens cativantes podem dar ao leitor uma experiência interessante e, talvez, surpreendente.

43 anos, Historiadora, professora universitária e escritora.

Sobre a autora:

     
            Nikelen Witter é uma escritora que se define pela necessidade insufocável de contar histórias. Amante da leitura, se encontrou como escritora de Literatura Fantástica em 2005. Os contos começaram a ser publicados em 2011, em diversas antologias de editoras de diferentes partes do Brasil. Seu conto Mary G. foi finalista do Prêmio Hydra de 2014. Seu romance Territórios Invisíveis (2ª ed. 2017, Avec Editora), foi finalista do Prêmio Argos de 2013. É uma das organizadoras do projeto Odisseia de Literatura Fantástica. É também historiadora, professora e pesquisadora das questões de feminismo e questões de gênero.

Guanabara Real - A Alcova da Morte é uma obra de fantasia escrito por três autores habilidosos. O livro se encontra em pré-venda neste link. A editora liberou o primeiro capítulo para leitura neste link. Quer saber mais sobre a obra? Acompanha o nosso blog que em breve sai a entrevista com os outros dois autores!

Até a próxima.


Top Comentarista n°20: clique para participar

Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. OI Luciano.
    Que maravilhosa entrevista, parabéns.
    Essa capa me conquistou e foi amor a primeira vista, adorei saber um pouco mais sobre a autora e o que o livro promete, irei ler com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Achei bem interessante a premissa desse obra.
    Adorei a entrevista! Curti saber um pouquinho mais sobre o livro e sobre a autora.
    Achei a capa desse livro super caprichada.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Luciano!
    Adoro as entrevistas que faz, são bem conduzidas e diretas ao ponto.
    Claro que a curiosidade por ler uma mulher liderar uma agência de investigação, apenas aumentou e espero poder ler essa obra de fantasia.
    Semaninha cheia de felicidade!!!
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Oi Luciano,
    O que achei interessante é que a autora conta que por ter escrito o primeiro capitulo sua escrita foi o que deu inicio a narrativa e isso poderia ir para um lado bem feminino, mas pelo que já li de resenhas não é o que acontece, pois as narrativas alternadas entre personagens masculinos e feminino cria uma ótima dinâmica para o livro e permite que o público alvo seja mais eclético. Estou ansiosa pela entrevista dos outros autores desta obra!!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!