Tecnologia do Blogger.

08/04/2017

RESENHA – A Rosa e a Adaga (Renée Ahdieh)

Renée Ahdieh
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: AHDIEH, Renée. A Rosa e a Adaga. 1ª edição. São Paulo, Globo Alt (selo da Editora Globo), 2017. Tradução: Fabienne Mercês. 368 páginas.
Gênero: Romance, fantasia, Young Adults (YA)
Temas: Reino, aventura, guerra, feitiços, triângulo amoroso
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura americana
Ano de lançamento: 2016 nos Estados Unidos da América e 2017 no Brasil
Série: A Fúria e a Aurora (Livro 1) e A Rosa e a Adaga (Livro 2)

“Como todo espelho, toda magia tem seu lado negro. Um lado que pode ser manipulado para mostrar o que ele deseja ver”.
A Rosa e a Adaga – Livro 2. (posição 2.781 – E-book via Amazon)




Queridos leitores, este é o último livro da duologia que conta a história da Sherazade (Shazi) e do Khalid, o rei de Khorasan. Sendo que o livro foi baseado no clássico da literatura árabe “As Mil e uma Noites”, composto por uma coleção de contos escritos entre os séculos XIII e XVI. Ressalto que este livro é uma continuação do primeiro (A Fúria e a Aurora) e, por isso, eles precisam ser lidos em sequência.
Esta foi uma das minhas séries favoritas. Amei cada personagem. Senti um misto de emoções a cada página virada. Entre sorrisos e suspiros me apaixonei cada vez mais pelo Khalid, que já havia ganhado meu coração ainda no primeiro livro.
No livro anterior, a história termina com a fuga da Shazi com os seus amigos Tariq e Rahim para buscar o seu pai, que quase destruiu o reino por conta de um feitiço.
A Shazi, com sua determinação, vai descobrir em quem de fato ela pode ou não confiar. Além de descobrir coisas inusitadas que ela pode fazer, como voar em um tapete. Nessa parte eu lembrei do Aladim, não teve jeito.
Apesar de muitas coisas acontecerem no decorrer do livro, eu não senti que a autora acelerou as cenas para fechar a história. Porém, senti que em alguns pontos ainda faltaram mais explicações, como, por exemplo, a forma de o Khalid acabar com a maldição que havia sido lançada sobre ele. Até agora não entendi por que a forma escolhida era a melhor.
Foi muito bom ver como o amor da Shazi e do Khalid amadureceu, mesmo depois de tantos problemas que eles tiveram que enfrentar. Todavia, o pai dela foi uma grande decepção. Não sei se as atitudes dele se justificavam por ser uma pessoa fraca ou ingênua. Contudo, foi uma pessoa que mais atrapalhou do que ajudou. A Irsa, irmã da Shazi, também foi importante no desenrolar da história.
Já o Tariq, primeiro amor da Shazi, tinha algumas atitudes infantis, talvez por saber que ela estava apaixonada pelo seu maior inimigo. De toda forma, ele conseguiu se redimir no final, apesar de que, em minha opinião, um dos grandes desastres que aconteceu foi por culpa dele, por conta da sua impulsividade.
O livro possui 36 capítulos mais o prólogo e o epílogo, e é narrado de forma linear cronológica e em terceira pessoa, por vários personagens, mas principalmente pela Shazi e pelo Khalid.
A autora mora na Carolina do Norte com o marido, Victor, e o seu cão, Mushu. No seu tempo livre, gosta de cozinhar, dançar salsa, e causar estragos nas vidas dos seus personagens.
Enfim, com o término desta série o que me resta é aguardar a próxima duologia da autora, que se chamará Flame in the Mist (em tradução livre significa “Chama na Névoa”). Este livro foi inspirado no Japão e tem como temática o folclore asiático, mas, infelizmente, ele ainda não tem previsão para ser lançado.
A Rosa e a Adaga

Bibliografia de Renée Ahdieh (ordem cronológica):

     A Fúria e a Aurora – Globo Alt (2016)
     A Rosa e a Adaga – Globo Alt (2017)


Top Comentarista n°6: Clique para participar

Comentários
7 Comentários

7 comentários:

  1. Esse livro não chama minha atenção!
    Nem ele nem o primeiro!
    Não gosto desse tipo de história!
    Beijossss

    ResponderExcluir
  2. Essa série me conquistou desde o lançamento. Nem li ainda e já considero "pakas" haha
    As capas maravilhosas e a sinopse me chamaram demais a atenção.
    E o que falar da história? Parece ser incrível.
    Não conheço a escrita da autora ainda, mas tem cara de ser daquelas que conseguem prender o leitor e gosto disso.
    Apesar de alguns pontos negativos na leitura, continuo bem interessada.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Caroline, o livro é muito bom. Acho que você vai gostar :)

      Excluir
  3. Oi Gabi,
    Tenho ouvidas ótimas críticas sobre esta duologia e espero apreciar a leitura quando realiza-lá. Nunca li a história de As mil e uma noites, mas já ouvi algumas coisas a respeito. Sei que é uma história de amor, mas Renée Ahdieh trouxe outros elementos para esta releitura do clássico, fazendo com que a trama se destaque com o cenários e as cenas de ação. Estou muito curiosa para saber da história de Khalid e para ver como será seu encontro com Sherazade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gislaine, é uma ótima releitura do clássico. Eu também não li "As mil e uma noites", mas este livro da Renée foi ótimo ;)

      Excluir
  4. Gabi!
    Tão bom ver releitura bem escrita e com um final totalmente inusitado e diferente do original.
    Lindo mesmo o amor dela por ele, enfrentou tudo para provar que ele não é mau como todos pensavam.
    Quero ter a oportunidade de ler.
    “ O amor é a sabedoria dos loucos e a loucura dos sábios.” (Samuel Johnson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rudy, foi um ótimo livro, acho que você gostará ;)

      Excluir

Deixe o seu comentário!